Será que o bidon é um foco de infeções?

Neste artigo mostramos os cuidados necessários para manteres o bidon em bom estado e livre de bactérias e germes.
Iván Mateos. Foto: Sam Clark, Cape Epic -
Será que o bidon é um foco de infeções?
Será que o bidon é um foco de infeções?

O bidon que utilizamos no ciclismo é um acessório com o qual devemos ser metódicos em termos de higiene, e não falamos apenas neste caso específico do coronavrírus, pois existem múltiplos patogénicos, mais ou menos benignos, que se podem instalar num recipiente que reune muitas características que são favoráveis: fluxo de nutrientes, humidade, calor, ambiente fechado... ou seja, o "local ideal" para o crescimento desses patogénicos.

Para evitar que isso aconteça, é essencial deixar sempre o bidon aberto quando chegamos a casa, para que a água residual se evapore. É também altamente recomendável enxaguar o bidon e é especialmente importante - caso tenhas utilizado algum produto nutricional misturado com água - lavá-lo bem e deixar secar, sempre com a abertura virada para cima.

Se as bactérias começaram a colonizar o teu bidon (isso é notório através de manchas na parede do mesmo), é necessário acabar com elas, esfregando o interior e preparando uma solução composta por uma colher de lixívia por cada 1/2 litro de água quente. Deixa atuar cinco minutos e depois enxagua bem. É possível que algumas manchas não desapareçam, mas pelo menos o interior do bidon ficará praticamente esterilizado.