Teste: pedais Shimano PD-RS500

Se és novato no mundo do ciclismo de estrada, rapidamente vais perceber que usar pedais de encaixe é o próximo passo a dar. Este modelo da Shimano é uma excelente opção tanto para os que se estreiam no ciclismo, como para aqueles que já fazem da modalidade o seu hobby favorito.
Carlos Pinto
Teste: pedais Shimano PD-RS500
Teste: pedais Shimano PD-RS500

Quem entra de rompante na modalidade muitas vezes desconhece a evolução dos produtos comercializados e das bicicletas, estranhando os preços. Muitos não sabem que o vestuário de ciclismo, os acessórios e as bicicletas estão dentro do lote de produtos tecnologicamente mais evoluídos do mundo do desporto, ao nível da fórmula 1. Não só tudo é analisado do ponto de vista funcional, como a nível ergonómico e aerodinâmico. Sem esquecer a questão do peso, tão importante sobretudo nos produtos premium.

Há produtos de gamas inferiores que possuem características de topo, herdadas dos modelos mais avançados, mas utilizando materiais menos nobres, logo um pouco mais pesados. É o caso destes pedais da Shimano. Os RS500 custam apenas 46 euros e possuem a tão badalada tecnologia SPD-SL que muitas marcas copiam.

Pesando 317g o par na nossa balança (um valor inferior ao mencionado no site da marca), não são anoréticos como os Ultegra ou os Dura Ace, pois o seu objetivo é outro: destinam-se a um mercado que procura uns pedais de encaixe fiáveis, duradouros e funcionais. São uns pedais de face única, com eixo de cartucho e com um par de travessas incluídas (as SM-SH11). Como não podia deixar de ser, incluem um ajustador de tensão, o que permite facilitar ou dificultar a remoção da travessa. É um sistema mais do que provado, eficiente e eficaz. O mecanismo é selado, para evitar ao máximo a entrada de detritos e durante o nosso teste (durante meses) não notámos folgas, ruídos ou qualquer outro problema. O encaixe e desencaixe é muito fácil de executar (e audível), tendo a mola do sistema de retenção uma tensão mais leve para os iniciantes.

O pedal possui um corpo largo, para ser fácil o apoio do pé quando vamos encaixar, e esse pormenor é importante sobretudo para aqueles que ainda não têm interiorizado o processo de encaixe/desencaixe. Esta maior superfície transmite mais confiança. Além disso, como o corpo é em aço inoxidável, a robustez, rigidez e a transferência de potência são otimizadas.

Temos na nossa redação uns Dura Ace e uns Ultegra e confessamos que estes RS500 não ficam nada atrás em termos de funcionamento. E o preço é soberbo, portanto duvidamos que encontres outra alternativa no mercado tão boa a este preço.

Sabe mais no site do distribuidor, a Sociedade Comercial do Vouga em www.scvouga.pt.