comitium

Como fortalecer o sistema imunitário e evitar constipações

A Dra. Sari Arponen dá-nos algumas dicas para mantermos o sistema imunitário fortalecido e evitar constipações com a chegada do frio.

Yolanda Vázquez Mazariego (Investigadora e Professora Universitária)

Como fortalecer o sistema imunitário e evitar constipações
Como fortalecer o sistema imunitário e evitar constipações

Com a chegada do Outono, as temperaturas começam a baixar e o nosso corpo deve adaptar-se ao frio antes que chegue o Inverno mais rigoroso. É um processo natural quando se vive em climas temperados. Os seres humanos encontraram uma forma de manter as temperaturas em casa e no trabalho, por isso de certa forma deixámos de nos adaptar à chegada do frio do Inverno e do calor do Verão de uma forma, digamos, artificial. 

De facto, não é o frio que provoca as gripes e as constipações, são os virus e as bactérias, e o sistema imunitário tem a função de combater estes microorganismos e evitar as infeções que provocam. Com a adaptação paulatina ao frio, através da descida das temperaturas que ocorrem no Outono, o nosso sistema imunitário fica em "modo alerta" para se preparar para a chegada dos novos microorganismos responsáveis pela gripe, por isso evitar o frio fará com que apanhes mais gripes e constipações. Se te fores habituando ao frio de forma natural, podes estar a ajudar o teu sistema imunitário a fazer a sua função e a estar preparado para combater as infeções que as gripes e as constipações produzem. 

Segundo a doutora Sari Arponen, estes são os principais conselhos a ter em conta para manter o sistema imunitário ativado e evitar constipações.

DICAS PARA MANTER O SISTEMA IMUNITÁRIO FORTALECIDO E EVITAR CONSTIPAÇÕES

Uma das principais causas do desequilíbrio do sistema imunitário está relacionada com a inflamação crónica de baixo grau. Segundo o investigador Philip Maffetone, 80% da população tem excesso de tecido adiposo no corpo, um tecido adiposo inflamatório, com a chamada gordura "branca" e não a gordura tradicional relacionada com obesidade. Ou seja, muitas pessoas não têm excesso de peso nem obesidade, mas sim pouco músculo e um excesso de gordura no corpo.

"Ter uma inflamação aguda (devidamente controlada, como é óbvio) de vez em quando é necessário para a nossa sobrevivência. No entanto, estar sempre com algum grau de inflamação não faz bem à nossa saúde. Por um lado, ficamos doentes. Por outro, não permite que sejamos capazes de ter uma inflamação aguda se o nosso organismo precisar, por isso é que ficamos com constipações mal curadas durante semanas", explicou a Dra. Arponen.

Inflamação e sistema imunitário

O nosso estilo de vida é responsável por esta inflamação constante. É por isso que o nosso sistema imunitário se mantém num estado de alerta constante, sobretudo devido aos nossos hábitos diários: ingestão de produtos ultraprocessados que comemos várias vezes ao dia, as toxinas como desreguladores endócrinos ou metais pesados, todos os motivos de stress do dia a dia, o sedentarismo, a cronodisrupção... 

dsc 0085 editada 7 1200x690

Dra. Sari Arponen, autora do livro: O Sistema Imunitário finalmente sai do armário

As principais recomendações da Dra. Arponen para evitar que o sistema imunitário fique desequilibrado são:

  1. Ter uma alimentação à base de alimentos não processados, seguindo uma dieta pesco-mediterrânea ou atltântica. 
  2. Comer 2 ou 3 vezes ao dia, levando a cabo um jejum noturno adequado, de no mínimo 12 ou 13 horas. 
  3. Realizar exercício físico num ambiente natural, sendo o ideal andar cerca de 15.000 passos por dia.
  4. Controlar o stress crónico, tendo em conta que o uso e abuso dos dispositivos digitais é um dos principais "gatilhos" para isso acontecer.
  5. Garantir horas de descanso e de sono. 
  6. Adaptar a pouco e pouco ao frio e às baixas temperaturas durante o Outono, evitando passar muito tempo em ambientes com aquecimento elevado e onde existam mudanças bruscas de temperatura. 
  7. Ter uma microbiota equilibrada, pois permite-nos alcançar o equilíbrio imunitário, logo menos suscetíveis a infeções víricas.  

Microbiota: uma ajuda para o sistema imunitário 

No intestino podemos encontrar imunobióticos, ou seja, microorganismos vivos probióticos capazes de modular o funcionamento do sistema imunitário de uma forma favorável. 

Para obtê-los através da alimentação, devemos consumir alimentos fermentados, mas o inconveniente nestes casos é que não sabemos que microorganismos estamos a obter. Nem todos produzem o mesmo efeito no corpo.

"Os probióticos devem ser escolhidos em função da sua ação específica imunobiótica", indica a doutora. Alguns dos mais conhecidos, como o  L. rhamnosus ggL. casei e L. paracasei, são muito imunobióticos. 

Em suma, devemos ressalvar a importância de ter uma microbiota equilibrada, pois permite-nos alcançar um equilíbrio imunitário, ficando desse modo menos suscetíveis a infeções víricas. Por esta razão, a suplementaçao com probióticos específicos é uma estratégia a considerar, a qual só deve ser recomendada por alguém especializado na área. Paralelamente devemos regular os nossos hábitos alimentares e o estilo de vida. Se tomarmos suplementos ao acaso ou de utilização geral, não vamos melhorar, pois cada pessoa tem um sistema imunitário diferente. Mais vale investir em imunobióticos de qualidade e específicos de acordo com as nossas necessidades do que comprar genéricos ou produtos não adaptados ao nosso organismo e que terão um efeito placebo. 

Arquivado em:

10 razões pelas quais os desportistas deveriam comer um abacate por dia

Relacionado

10 razões pelas quais os desportistas deveriam comer um abacate por dia

Os 10 alimentos que maximizam a tua imunidade

Relacionado

Os 10 alimentos que maximizam a tua imunidade

Como e quando devemos tomar proteínas

Relacionado

Ciclismo e BTT: como e quando devemos tomar proteínas

As vitaminas são muito importantes no nosso dia a dia e neste artigo explicamos a principal contribuição de cada uma

Relacionado

Sabes o que é que cada vitamina fornece?

Beber café está associado a menor risco de insuficiência cardíaca

Relacionado

Beber café está associado a menor risco de insuficiência cardíaca

Tiveste uma hérnia e não sabes se podes continuar a praticar ciclismo?

Relacionado

Tiveste uma hérnia e não sabes se podes continuar a praticar ciclismo?

Bicicleta e menstruação. Será que posso continuar a pedalar estando menstruada?

Relacionado

Bicicleta e menstruação. Será que posso continuar a pedalar estando menstruada?