Recomeçaste a pedalar com os amigos? Segue estes conselhos

Agora que já é possível voltar a pedalar em grupo (mas dentro das normativas da DGS), é preciso relembrar algumas regras básicas para a convivência nos trilhos.
Carlos Pinto
Recomeçaste a pedalar com os amigos? Segue estes conselhos
Recomeçaste a pedalar com os amigos? Segue estes conselhos

Desde que foi decretado o desconfinamento é visível o crescente número de grupos de praticantes de BTT nos trilhos. Nota-se também que há uma nova geração de praticantes, e que alguns deles ainda não sabem as regras de convivência. Não se trata de um código de conduta, mas sim de regras simples que possibilitem a convivência entre todos e, sobretudo, evitar acidentes desnecessários ou grandes aglomerações no meio dos trilhos.

1. NÃO PARES

Depois de uma descida complicada convém evitar parar logo a seguir à zona técnica. Se o fizeres, formarás uma espécie de tampão na própria descida e provocarás quedas aos restantes elementos do grupo que vierem atrás. O melhor é seguires mais alguns metros e encostares para um dos lados, caso seja realmente necessário parar.

2. AVISA

Quando circulares na cabeça do grupo, és os olhos dos teus companheiros que circulam atrás. Por isso, deves avisar se existe algum perigo como uma pedra, um ramo partido ou um buraco a meio do caminho. Se estiveres numa descida e te cruzares com alguém a subir, abranda o ritmo e adverte o perigo com um aviso sonoro ou um assobio.

3. GUARDA ESPAÇO

Tal como nas descidas, também nas subidas técnicas deves deixar algum espaço entre a tua roda e a do betetista imediatamente à tua frente. Desse modo, caso o que estiver à tua frente tenha de parar ou não consiga continuar a pedalar, poderás tentar chegar ao topo sem colocar o pé no chão.

4. PROGRESSIVAMENTE

Tal como quando circulas de carro na estrada, quando andas de bicicleta não deves travar a fundo quando andas em grupo. Por isso, se o teu bidon caiu ao chão, se o teu telemóvel começou a tocar ou se deixaste a barra energética cair ao chão, deverás advertir os teus colegas de que vais parar e só o deves fazer posteriormente e de modo gradual. Caso contrário, poderás provocar um acidente.

5. COM O OMBRO E COM CALMA

É um pouco difícil permanecer totalmente concentrado durante horas em cima da bicicleta. Uma das situações mais comuns quando se anda em paralelo é invadir o espaço lateral do colega do lado e ficar parcialmente encaixado na bicicleta (na zona do punho/guiador/manete). Se isso acontecer, mantém a calma e usa o ombro apoiando no teu companheiro. Não tires as mãos do guiador pois perderás o controlo.

6. UM OLHO NO BURRO, O OUTRO NO CIGANO...

Se circulares demasiado perto do teu companheiro da frente, corres o risco de que a tua roda dianteira toque na sua roda traseira. Se isto acontecer, em princípio não haverá problema. Mas se as rodas entrarem em contacto lateralmente, podes perder o equilíbrio, originando uma queda. Deves estar sempre atento, tanto à tua condução, como à dos que circulam imediatamente à tua frente e mesmo atrás. Convém levares sempre um dedo colocado na manete de travão.

7. A UNIÃO FAZ A FORÇA

Quando pedalamos em grupo, é normal haver alguns com mais técnica e mais treino do que outros. Se és o menos experiente, convém dizeres isso aos restantes elementos, para evitar que te deixem demasiado para trás (fazendo com que te percas), bem como para evitar escolher trilhos demasiado técnicos e verticais. Se não os avisares corres o risco de passar uma manhã muito desagradável. Se todo o grupo estiver a par das capacidades de todos os elementos, poderão esperar uns pelos outros no topo das subidas, avisar dos perigos nas descidas e escolher os trilhos consoante a técnica de todos. Se ainda estás a inciciar no mundo do BTT, não tentes ir acima das tuas possibilidades, por isso gere a tua energia com inteligência e não abuses. Um dos truques é perceber quando estamos a hiperventilar. Se permanecermos muito tempo assim, as nossas reservas de energia não vão durar muito tempo. O ideal é reservar sempre algo para o final.