As 10 falhas mais frequentes no treino de ciclismo

Treinas muito e com bastante intensidade, mas o resultado final não é o esperado? Talvez estejas a fazer algo mal...
Yago Alcalde -
As 10 falhas mais frequentes no treino de ciclismo
As 10 falhas mais frequentes no treino de ciclismo

ERRO 1: TREINAR SEMPRE SOZINHO

Evidentemente é melhor sair e treinar sozinho do que não treinar. Pode ser que o teu ritmo de vida não te permita ajustar aos horários de outras pessoas, mas quando tiveres oportunidade, treinar com outras pessoas ajudar-te-á a melhorar e será mais ameno. Também não deves fazer o oposto, ou seja, apenas treinar se tiveres companhia. Haverá dias em que o treino será muito específico e deverás cingir-te a ele sem que ninguém estorve o trabalho específico que estás a fazer.

SOLUÇÃO: Procura pessoas com quem gostes de treinar, com um rendimento semelhante e afinidades pessoais. Devem ter um nível similar ao teu, pois isso facilitará as coisas e poderão ir juntos.

ERRO 2: TREINAR SEMPRE AO MESMO RITMO

Varia a intensidade de cada treino e de cada volta de bicicleta. Treinar sempre ao mesmo ritmo é monótono e não cria adaptação no teu organismo porque não recebe novos estímulos.

SOLUÇÃO: Planifica um pouco os teus treinos, e em cada um deles define um objetivo pré-estabelecido. Não baseies tudo em tempo e quilómetros, pois a intensidade também tem um papel fundamental. Por exemplo, planifica um dia duro, outro suave, outro longo e o seguinte com diferentes intensidades. Lembra-te de intercalar dias de descanso.

ERRO 3: NÃO DESCANSAR

O treino consiste em submeter o teu corpo a uma carga com o objetivo de o estimular e tentar que se acostume a essa carga. Mas para poder assimilar essa carga precisas de descansar e se não o fizeres expões o teu corpo a uma fadiga contínua da qual não se recupera facilmente. Um pulso em repouso (matutino ou noturno) 10 pulsações acima do habitual é um claro sintoma de treino em excesso. Outros são: irritabilidade, mau humor, mal-estar, desfalecimento, apetite alterado, pouca vontade de pedalar, etc. Se não descansares pura e simplesmente o teu corpo não vai assimilar o treino. Precisas de pelo menos 7 horas de sono diárias. Muitos órgãos e mecanismos hormonais ativam-se enquanto dormes e serão relevantes para o teu rendimento.

SOLUÇÃO: É mesmo necessário que durmas. Perante os primeiros sintomas de cansaço é preciso dormir bem e deixar a bicicleta mais tranquila durante algum tempo, pois os benefícios serão muitos. Cada pessoa necessita de mais ou menos descanso em função do seu estado de forma, anímico ou de saúde, do stress, dos horários, etc. Este pode ser ativo (voltas muito suaves e curtas de bicicleta ou praticar um desporto alternativo) ou passivas (não realizar nenhum desporto).

ERRO 4: TREINAR MUITO ESPORADICAMENTE

É melhor treinar pouco frequentemente do que muito de vez em quando. Estudos realizados sobre fisiologia desportiva concluíram que são precisos pelo menos quatro dias por semana em termos de treino para obter benefícios quando se quer melhorar o rendimento.

SOLUÇÃO: Com um pouco de força de vontade poderás realizar algum exercício físico quase todos os dias. Nadar, correr, ginásio, rolo, são boas atividades para complementar a tua preparação e que não requerem mais de uma hora. Aproveita os dias livres para treinar na bicicleta e os dias durante a semana para alternar com outros desportos.

ERRO 5: CONCENTRAR APENAS NOS PONTOS FORTES

Se te concentrares em melhorar algo em que já és bom, não há problema, mas é muito melhor ser completo e ter poucos pontos débeis. A longo prazo serás mais rápido. Por isso, se já sobes "como uma flecha", porque não melhoras a tua técnica a descer?

SOLUÇÃO: Dedica algum tempo a melhorar os teus pontos débeis. Se, por exemplo, tens pouca técnica, podes usar um dos teus dias de descanso para treinar nas trialeiras mais complicadas, zonas de pedra, raízes, etc.

ERRO 6: TENTAR RECUPERAR O TEMPO PERDIDO

Excepto os profissionais, a maioria de nós temos outras tarefas que temos de executar no dia a dia e que por vezes nos impossibilitam de treinar. Se não pudeste treinar um dia, não stresses, não há problema! Poderás recuperar esse dia noutra altura.

SOLUÇÃO: Esquece isso e segue em frente. Não tentes encaixar essas horas ou séries que faltam de rajada num só dia. O ideal é cada dia ir treinando um pouco mais para compensar.

ERRO 7: COMER OU BEBER DEMASIADO TARDE

Se só bebes ou comes quando tens sede ou fome, ficas desde já a saber que é demasiado tarde. A fome aparece quando já esgotaste as tuas reservas de glicogénio, pelo que o teu rendimento irá baixar. Quando a sede parece, é porque já estás desidratado.

SOLUÇÃO: Bebe de 15 em 15 minutos e come algo (fruta, gel, barras...) a cada hora. Um boa opção são as bebidas energéticas, já que além de favorecer a hidratação (sais minerais) contribuem para o aporte de calorias em forma de hidratos de carbono (maltodextrinas, fructose...).

ERRO 8: TREINAR DEMASIADO DURO QUANDO ESTÁS DOENTE

O eterno dilema. Devo treinar menos e com menos intensidade quando estiver doente e assim não perco muito a forma, ou paro e cuido de mim e assim não me arrisco a piorar? A decisão é tua.

SOLUÇÃO: No caso de doenças ou lesões graves, não há dúvidas, deves mesmo parar. Se for apenas uma leve constipação, podes experimentar treinar, mas de modo suave e ver como estão as tuas sensações. Por vezes, se te resguardares do frio, suar (com o treino) acelera a recuperação de um resfriado. Se te sentires bem, continua, mas com precaução (duração e intensidade) e se sentires mal, regressa imediatamente a casa.

ERRO 9: TER UMA ATITUDE NEGATIVA

Todos temos momentos em que nos sentimos os reis do mundo e outros em que o pessimismo nos invade. Quando estás em baixo, não há outro remédio senão deixar passar, mas mantendo o treino. Aliás, até pode ser uma boa terapia.

SOLUÇÃO: Lembra-te do teu objetivo. Tenta que os assuntos pessoais ou laborais não interfiram com o teu treino. Visualiza e lembra-te do teu objetivo e pensa em todo o esforço a que já te submeteste até agora. Se necessário, modifica o teu plano de treino de modo a que este não seja um factor de stress extra, mas sim de desafogo.

ERRO 10: SER MUITO ESTRICTO

O organismo não é uma máquina e, portanto, é imprevisível. O treino e tudo o que se relaciona com ele (alimentação, recuperação, etc) deve ser cuidado ao máximo, mas não deve converter-se nunca numa obsessão.

SOLUÇÃO: Aprende a "libertar a tua mente". Sair à noite, não te alimentares adequadamente ou faltares aos treinos não são o caminho a seguir... mas por vezes podem ser um grande "abre olhos", ajudando a perspetivar o grau de importância das coisas.