comitium

Orbea Rise H: a versão mais barata da gama elétrica

Chegou ao mercado uma das bicicletas mais esperadas: a Rise da Orbea, numa versão em alumínio e com um preço mais acessível. Mas será que mantém o comportamento da sua irmã de carbono superleve?

Hector Ruiz

Orbea Rise H: a versão mais barata da gama elétrica
Orbea Rise H: a versão mais barata da gama elétrica

Em somente um ano de vida, a Rise da Orbea passou de uma simples desconhecida para passar a ser uma das grandes referências na categoria das e-Bikes leves. Isso deveu-se a uma junção difícil de obter: uma sensação de pedalada natural - como se não tivesse motor - e um peso difícil de igualar numa bicicleta elétrica. Tendo em conta que uma das limitações neste tipo de bicicletas é o seu preço de entrada, devido ao valor do carbono, a Orbea desenvolveu uma versão mais acessível de alumínio, mas mantendo dentro do possível todas as mais valias dos modelos de carbono. 

rise
 

A Rise H mantém a motorização Shimano EP8, mas a entrega de energia foi otimizada pela Orbea, bem como o torque do motor (limitado a 60 Nm). Assim, a pedalada é mais natural, sem solavancos bruscos. 

Por isso, a assistência idealmente é ativada entre as 75 e as 95 pedaladas por minuto

rise2
 

O quadro é fabricado em alumínio hidroformado (daí a sigla H") e os tubos são cónicos, tendo as soldas sido polidas em vários pontos do triângulo dianteiro para tentar manter a estética o mais parecida com o modelo de carbono. 

rise3
 
rise4

 A entrada dos cabos no interior do tubo principal é a grande diferença face à versão de carbono.

Somente as entradas dos cabos no quadro identificam que esta versão é de alumínio. Como se vê na imagem, o quadro possui entradas laterais. 

rise5
 

O quadro pesa 3,4 kg, ou seja, mais 1 kg do que a versão de carbono, aos quais temos de somar os 2,6 kg do motor Shimano. 

Quanto à geometria, mantém as medidas da versão original, em que há um equiíbrio entre o Trail e o All Mountain mais agressivo, com um Reach de 450 mm no tamanho M, um ângulo de direção de 66 ou 66,5º e um ângulo de selim entre 77 e 76,5º, variando em função da suspensão utilizada (de 140 ou 150 mm). 

O modelo mais barato e o mais caro das três montagens de alumínio disponíveis incluem de série uma suspensão de 140 mm, enquanto a versão intermédia opta por 150 mm. Estão à venda quatro tamanhos, do S ao XL, todos com rodas de 29"

MAIS CAPACIDADE DE BATERIA

A bateria agora passa a ter 540Wh, ou seja, mais 180 Wh do que a usada na Carbon (360Wh), equiparando-se assim a outras bicicletas do mercado nesta gama (e-Bikes leves). Por ser uma versão mais barata, com esta bateria mais capacitada, por assim dizer, já não é preciso comprar um Range Extender. Mas isso depende das tuas necessidades, claro. 

Mesmo assim, a Rise Hydro também é compatível com o Range Extender, o que significa que se o comprarmos, passamos a ter quase 800 Wh. Se tivermos em conta o baixo consumo do Shimano EP8 RS e as características da bicicleta, com esta opção estamos perante uma das e-bikes com maior autonomia do mercado. A Orbea alega que esta bicicleta consegue ascender até aos 5.000 metros de altimetria se usarmos o modo Eco, numa volta de 8h de duração. E se não tivermos o Range Extender, a marca diz que podemos chegar aos 3.500 metros de desnível. 

Esta bateria com mais capacidade também implica mais peso, mas menos do que aquilo que esperávamos. Aliás, as diferenças não são assim tão grandes se compararmos com a Rise de carbono. O peso desta bateria ronda os 2,7 kg, somados ao quilo extra do quadro de alumínio, a Rise Hydro pesa somente 1,5 kg a mais do que a Rise Carbon. O peso dos três modelos de alumínio disponíveis oscila entre os 19 e os 20 kg e, tal como argumenta a Orbea, estamos a falar de pesos bastante abaixo do que outras bicicletas de características similares pesam (ou seja, entre os 23 e os 25 kg). 

rise6
 

E antes que perguntes, sim, é verdade que esta bateria foi desenvolvida propositadamente para este novo quadro de alumínio, portanto não é compatível com a versão de carbono, que continua a usar a bateria de 360 Wh. Além disso, as entradas de carregamento são diferentes e os próprios carregadores não são iguais. 

Esta bicicleta estará à venda com o display SC-E7000 da Shimano nas versões H15 e H30 mais baratas e com o minimalista EW-EN100 na versão H10, a mais cara com quadro de alumínio. Podemos modificar alguns componentes, como a suspensão, travões, espigão de selim, selim ou pneus, como é norma na Orbea, através do programa MyO. De origem traz os Maxxis Dissector e Rekon de 2.4" com carcaças de 60 e 120 TPI, respetivamente.

rise7
 

Modelos e preços

Orbea Rise H10
Orbea Rise H10

Rise H10. 6.799 €

Suspensão Fox 34 Float Factory, 140 mm. Amortecedor Fox Float DPS Factory. Grupo e travões Shimano XT. Rodas Race Face Turbine-R30 TLR. Display Shimano EW-EN100.

Orbea Rise H15
Orbea Rise H15

Rise H15. 5.799 €

Suspensão Fox 36 Float Performance, 140 mm. Amortecedor Fox Float X Performance. Grupo Shimano Deore/XT e travões Shimano Deore. Rodas Race Face AR30c TLR. Display Shimano SC-E7000.

Orbea Rise H30
Orbea Rise H30

Rise H30. 4.999 €

Suspensão Marzocchi Bomber Z2, 140 mm. Amortecedor Fox Float DPS Performance. Grupo Shimano Deore/SLX e travões Shimano MT-410. Rodas Race Face AR30c TLR. Display Shimano SC-E7000.

Poderás saber mais detalhes em www.orbea.com

Arquivado em:

Teste: Orbea Rise M-Team

Relacionado

Teste: Orbea Rise M-Team

A nova Orbea Rise passa a trazer discos Galfer

Relacionado

A nova Orbea Rise passa a trazer discos Galfer

Aí está a nova Orbea Rallon

Relacionado

Aí está a nova Orbea Rallon

Nova Orbea Terra: à conquista do gravel

Relacionado

Nova Orbea Terra: à conquista do gravel

Nova Orbea Occam LT: para o lado mais divertido e selvagem do BTT

Relacionado

Nova Orbea Occam LT: para o lado mais divertido e selvagem do BTT

Os melhores videos