Revisão da transmissão. Como saber se é preciso mudar a cassete

A transmissão é, juntamente com os pneus, a parte que sofre mais desgaste na bicicleta. A cassete é uma das peças que deve ser substituída de tempos a tempos.
Revista BIKE -
Revisão da transmissão. Como saber se é preciso mudar a cassete
Revisão da transmissão. Como saber se é preciso mudar a cassete

Se vires a cassete, notarás que, embora esteja em boas condições, os dentes têm uma forma irregular. Ao contrário do que possas pensar, a cassete não tem os dentes lascados nem desgastados, nem é uma questão de design. Esse formato, com alguns dentes mais desnivelados do que outros deve-se à necessidade de ter uma configuração otimizada que favoreça a transição da corrente de um carreto para outro.

Como se pode ver no gráfico que os nossos colegas da redação espanhola gentilmente nos cederam, numa cassete sem os dentes no formato que referimos em cima, a corrente precisa de dar uma volta adicional na cassete para mudar completamente de carreto, além de que não encaixará completamente no carreto respetivo até que toda ela se encontre no carreto de destino. Nas cassetes com os dentes em bom estado, a corrente muda de carreto rapidamente e, ao ser feita uma transição suave, a engrenagem é perfeita logo a partir do momento que começa a entrar no carreto de destino.

Revisão da transmissão. Como saber se é preciso mudar a cassete

E COMO É QUE EU CONSIGO SABER SE A MINHA CASSETE AINDA AGUENTA?

Basta olhar para a inclinação de cada dente, o qual, com o tempo, se parecerá mais com uma onda. Se andares muito tempo com a cassete neste estado, ao pedalares sentirás mais fricção e a corrente começará a "saltar" quando fizeres força. Em qualquer caso, o ideal é mudar de corrente a cada 2.000 km para que não haja tempo suficiente de começar a desgastar prematuramente a cassete. Se o fizeres, a cassete pode durar até três mudanças de corrente; se não o fizeres, terás de mudar tudo de uma vez.