comitium

Top-10: as principais contratações da nova temporada

Neste artigo analisamos as movimentações mais importantes da temporada 2021.

Fernando Belda

Top-10: as principais contratações da nova temporada
Top-10: as principais contratações da nova temporada

1. CHRIS FROOME (ISRAEL START-UP NATION)

Embora muitos duvidem que o ciclista volte ao nível a que nos habituou em anos anteriores, a contratação de Froome pela equipa israelita - após 11 temporadas recheadas de vitórias na Sky/Ineos - é a mais sonante. Froome venceu sete grandes voltas e aos 35 anos pretende mostrar que tem capacidade para somar pelo menos mais uma grande volta ao seu palmarés. Aliás, o britânico já disse publicamente que quer ganhar pela quinta vez a Volta a França e embora pareça ser uma tarefa muito complicada - pela sua idade, mas também pelo nível demonstrado em 2020 após o seu grave acidente no Dauphiné de 2019 -, terá à sua disposição uma equipa muito reforçada para a nova temporada. Será que Froome conseguirá demonstrar que tem novamente pernas para andar com os melhores e, sobretudo, para aguentar as duras montanhas do Tour a um ritmo avassalador, como fez no passado?

2. MIGUEL ÁNGEL LÓPEZ (MOVISTAR TEAM)

O "Superman", como é conhecido no pelotão, foi a contratação mais sonante da Movistar e a que mais deu que falar nos últimos meses, e não só por motivos desportivos. López é um dos melhores trepadores do pelotão (no seu palmarés destacam-se pódios no Giro e na Vuelta de 2018, bem como a vitória na etapa rainha da Volta a França do ano passado, que acabou em 6º), e chega à equipa espanhola onde irá partilhar a liderança com Enric Mas. Os contrarrelógios continuam a ser o seu ponto fraco, e a sua evolução nesse sentido dependerá, em grande medida, das suas opções de liderança numa grande volta em 2021. O colombiano revelou que começará a temporada um pouco mais tarde do que o habitual, em março, e que os seus grandes objetivos serão em princípio a Volta a França e a Volta a Espanha.

3. ROMAIN BARDET (TEAM DSM)

Após nove temporadas na Ag2r - nas quais chegou a ser 2º e 3º no Tour, em 2016 e 2017 - o trepador francês sentiu a necessidade de sair da sua zona de conforto e tentar evoluir numa equipa com uma filosofia diferente. E não poderia encontrar melhor opção pois a DSM (nova denominação da Sunweb) é uma das equipas que melhor trabalha e desenvolve os ciclistas jovens. Aos 30 anos, Bardet será o grande líder para a Volta a França numa equipa que acumula muito talento e jovens em clara progressão: Jai Hindley, Marc Hirschi, Tiesj Benoot, Søren Kragh Andersen, Nils Eekhoff, Thymen Arensman, Cees Bol...

4. DANIEL FELIPE MARTÍNEZ (INEOS GRENADIERS)

A Ineos Grenadiers tem mais um novo líder no seu recheado plantel de luxo. Com Bernal, Carapaz, Thomas e Geoghegan Hart a Ineos é uma equipa temível, mas a incorporação do colombiano - oriundo da EF Pro Cycling - adiciona poder de fogo à estrutura inglesa. Vencedor em 2020 do Criterium du Dauphiné, de etapas na Volta a França (no alto de Puy Mary) e na Volta à Colômbia (que acabou em segundo lugar), Martínez é o atual campeão nacional de contrarrelógio. Grande trepador e contrarrelogista, Daniel Martínez tem, aos 24 anos, tudo para conseguir singrar no ciclismo mundial.

5. MICHAEL WOODS (ISRAEL START-UP NATION)

Outra das grandes contratações da reforçada Israel-Start Up Nation. Aos 34 anos, é um dos melhores ciclistas no pelotão em provas duras de um dia, e também se defende bem na geral de provas por etapas, como demonstra o seu 7º lugar na Volta a Espanha de 2017. No ano passado, após uma fratura do fémur na Paris-Nice, esteve brilhante no final da temporada, com vitórias em etapas na Vuelta e Tirreno Adriático, tendo subido ao pódio na Fléche-Wallone (3º), 7º na Liége-Bastogne-Liége... Na equipa israelita vai trabalhar para Froome, mas também terá as suas próprias hipóteses de brilhar.

6. RICHIE PORTE (INEOS GRENADIERS)

O terceiro classificado da última Volta a França é outro dos reforços de luxo da Ineos Grenadiers. Aos 35 anos, o australiano em princípio vai desempenhar o papel de gregário nas grandes voltas para os líderes da equipa (Bernal, Carapaz, Thomas...), embora certamente terá oportunidades de singrar em provas de uma semana, como a Volta ao Algarve, Paris-Nice, Romandia, Volta à Catalunha, Tour Down Under...

7. RAFAL MAJKA (UAE-TEAM EMIRATES)

Grande contratação da UAE Emirates pois o polaco (ex-Bora hansgrohe) é um grande trepador e um dos ciclistas mais regulares do pelotão em provas por etapas (foi 3º na Vuelta de 2015 e seis vezes top10 nas grandes voltas, acumulando 3 vitórias em etapas no Tour e uma na Vuelta). Com 31 anos, Majka terá duas funções: ser um gregário de luxo para o vigente vencedor do Tour, Tadej Pogacar, além de lutar pelas suas próprias vitórias em algumas provas. Em 2020, Majka foi 12º no Giro, 3º na Tirreno Adriático, 4º na Volta à Polónia e 5º no UAE Tour.

8. IVÁN GARCÍA CORTINA (MOVISTAR TEAM)

Após quatro temporadas na Bahrain, o espanhol - especialista em clássicas, sobretudo de pavé - chega à Movistar com o objetivo de liderar a equipa em provas de um dia e procurar vitórias parciais graças à sua velocidade. Terá a ajuda de Johan Jacobs, do veterano Imanol Erviti, e dos jovens Hollmann, Norsgaard, Cullaigh e Jorgenson. Fã do empedrado, Cortina destacou-se em 2018 quando encetou uma grande fuga no Tour de Flandres, mostrando a sua qualidade e potencial. Ganhou uma etapa na Paris-Nice, bem como outra etapa ao sprint na Volta à Califórnia.

9. GREG VAN AVERMAET (AG2R CITROËN TEAM)

Aos 35 anos, o vigente campeão olímpico chega a uma equipa que, após a saída do seu líder Romain Bardet, se reforçou para brilhar nas clássicas da Primavera, contando com especialistas como o próprio Avermaet, Oliver Naesen, Bob Jungels ou Benoit Cosnefroy. O belga ainda é um ciclista muito competitivo e em 2020 acabou em 2º na Volta à Valónia, estando com os melhores na Milão-San Remo (8º), Strade Bianche (8º), Omloop Het Nieuwsblad (13º), ou o Grande Tríptico Lombardo (3º).

10. WILCO KELDERMAN (BORA-HANSGROHE)

O holandês - terceiro classificado do Giro de 2020 - é regular, e a prova são os cinco top10 em gerais de grandes voltas. Como já se sabia, abandonou a Sunweb e assinou contrato por duas temporadas com a BORA-hansgrohe, onde vai partilhar a liderança nas principais provas por etapas com Emanuel Buchmann (4º no Tour de 2019) e Maximilian Schachmann (vencedor da Paris-Nice).

OUTRAS CONTRATAÇÕES A DESTACAR:

Adam Yates (Ineos Grenadiers)

Bob Jungels (AG2R Citroën Team)

Fabio Aru (Team Qhubeka ASSOS)

Michael Matthews (Team BikeExchange)

Matteo Trentin (UAE-Team Emirates)

Sam Oomen (Team Jumbo-Visma)

Michael Valgren (EF Education - Nippo)

Darel Impey (Israel Start-Up Nation)

Gregor Mühlberger (Movistar Team)

Mark Cavendish (Deceuninck - Quick Step)

Os melhores videos