Santa Cruz apresenta a Heckler, a sua primeira ebike

A californiana Santa Cruz é a mais recente marca a entrar no mundo das bicicletas elétricas, lançando a Heckler, uma bicicleta ágil, divertida e feita à imagem da Bronson.
Carlos Pinto
Santa Cruz apresenta a Heckler, a sua primeira ebike
Santa Cruz apresenta a Heckler, a sua primeira ebike

Em 1996, a Heckler original foi criada quebrando por completo os standards pré-estabelecidos usados pela indústria na época. Foi transgressiva e avançada no seu conceito, e apesar de ter usado um sistema “convencional” monopivot, a sua geometria e proporções elevaram a experiência de condução para outro patamar. Foi sem dúvida um ponto de viragem na história da Santa Cruz. Foi também um modelo topo de vendas que elevou o estatuto da marca ao estrelato.

A Heckler atual herda a mesma atitude e filosofia da sua antecessora para catapultar a marca para uma nova era. A criação de uma e-MTB, a primeira da Santa Cruz, exigiu um planeamento cuidadoso e um trabalho delicado. O nome escolhido não foi um acaso, mas sim um merecido reconhecimento a um modelo que mudou a história da marca. Não podia ser apenas “mais uma bicicleta”. Teria de manter intacta a filosofia e o ADN da marca. Um modelo divertido, sim, mas ao mesmo tempo sem limites, capaz de enfrentar tudo.

A Heckler é, segundo a própria Santa Cruz, "a e-bike mais ágil do mercado". Segundo os responsáveis da marca, isto acontece porque a Heckler foi criada e projetada à imagem da Bronson, precisamente a bicicleta mais ágil até à data produzida pela empresa norte americana. Aliás, tem as mesmas medidas, os mesmos ângulos e adota o mesmo carbono CC. Santa Cruz apresenta a Heckler, a sua primeira ebike

Usando a Bronson como ponto de partida, os engenheiros da Santa Cruz ajustaram o amortecedor e integraram o motor e a bateria com o objetivo de obterem uma bicicleta que seja ágil e leve, tentando aproximá-la o mais possível da experiência de condução de uma bicicleta sem motor. Ou melhor, tentando aproximá-la da Bronson. Santa Cruz apresenta a Heckler, a sua primeira ebike

Pesando 20 kg, a Heckler está entre as mais leves eBikes da sua classe. A bateria incorporada de 500wh mantém o peso baixo, e tem uma autonomia mais que suficiente. As rodas de 27,5 polegadas com uma largura de 2,6” tornam a condução da Heckler bastante fácil. A marca não pretendia criar um quadro "super musculado" e extra pesado, nem queria a maior bateria do mercado, que obrigaria a ter tubos de grandes dimensões, e resultaria numa bicicleta super pesada. Santa Cruz apresenta a Heckler, a sua primeira ebike

O ângulo de direção relaxado (65,5 graus) e o comprimento das escoras de 445mm proporcionam uma sensação de condução rápida e divertida, ao mesmo tempo que oferece uma tração ilimitada quando os trilhos ficam mais íngremes e técnicos. O sistema VPP do link inferior obrigou os engenheiros a um trabalho suplementar, primeiro por causa da posição e do espaço ocupado pelo motor, e em segundo lugar, porque foi especialmente otimizado para a condução de uma e-Bike, nas quais se pedala muito mais tempo sentado, o que requer uma suspensão mais ativa na parte inicial para tração máxima. Santa Cruz apresenta a Heckler, a sua primeira ebike

Motor Shimano

O motor E-8000 da Shimano é leve e compacto (2,88 kg), o que ajuda a construir uma das mais leves ebikes do mercado, permitindo uma distância entre eixos muito contida, semelhante a uma Bronson sem motor. A bateria incorporada Shimano E-8035 é o mais recente lançamento da marca nipónica. Fornece 504 watts-hora de potência, é leve (2,9 kg), é totalmente removível/substituível usando apenas uma chave hexagonal de 4mm e é protegida por uma tampa também em carbono CC Santa Cruz.

Quatro montagens

A Heckler está disponível com quatro montagens, incluindo transmissão SRAM de 12 velocidades, travões SRAM de duplo pistão e discos de 200mm, amortecedores RockShox Super Deluxe com configurações especiais para e-bike e suspensões específicas para e-bikes como o FOX 36.

Cores

Como é habitual na Santa Cruz, a marca terá duas cores à disposição: Blackout (uma mistura elegante de cinza escuro brilhante (quase preto), combinada com o cobre mate dos logotipos) e Yellow Jacket (muito mais marcante, pois mistura um amarelo quase fluorescente com os logótipos pretos).

Os preços começam nos 7.665 euros e vão até aos 13.700 euros. Poderás saber mais em www.bicimax.pt.