Quatro conceitos sobre os pratos ovais

Há vários anos que se implementaram como um dos componentes com maior impacto no mercado, mas hoje em dia a maioria de nós ainda desconhece alguns dos seus aspetos mais técnicos, e que devemos ter em conta.
Héctor Ruiz -
Quatro conceitos sobre os pratos ovais
Quatro conceitos sobre os pratos ovais.

OVALIDADE E OUTROS CONCEITOS

1. Os pratos ovais requerem um período de adaptação. Tanto para nos acostumarmos à sensação distinta de pedalada (com maior velocidade na passagem pelo ponto morto) como a nível muscular, já que iremos trabalhar de uma forma algo distinta.

2. A principal vantagem dos pratos ovais é que melhoram a entrega de potência, já que se faz de uma forma mais constante. Portanto, há menos fadiga, ao não haver alterações constantes de potência. Para além disso reduzem algum desconforto nos joelhos, já que há menos picos de pressão.

4 conceptos sobre los platos ovales

3. Na maioria dos desenhos dos pratos ovais, o ponto de maior ovalidade (transferência de força) geralmente corresponde com um tamanho de cremalheira dois dentes maior e dois dentes menor no ponto de menor ovalidade (recuperação). Isto quer dizer que um prato de 32 dentes é equivalente a um 34 na fase de força e de 30 na fase de recuperação. Na patente da O-Symetric a diferença de tamanho é de quatro dentes.

4. É importante conheceres bem o teu pedaleiro para poderes escolher o tipo de Offset mais adequado. O Offset é o desvio do prato relativamente ao cranque, portanto afeta a linha da corrente. Com um Offset mais elevado a cremalheira ficará mais perto da escora, podendo tocar com esta em alguns quadros. Por norma, existem três tipos principais: GXP (6 mm), Boost (3 mm) e BB30 (0 mm).