comitium

Orçamento das equipas World Tour 2021

Sabias que os orçamentos das equipas World Tour são muito díspares? E que na Volta a França deste ano, por exemplo, a equipa com maior budget tem 50 milhões de euros anuais e a mais pequena (que não é World Tour) tem "apenas" 7,5 milhões?

Orçamentos equipas World Tour 2021
Orçamentos equipas World Tour 2021

Muito se tem falado acerca dos orçamentos das equipas e sobre a hegemonia da INEOS. 50 milhões de euros é de facto um valor impressionante, permitindo não só contratar os melhores ciclistas e técnicos, mas também obter o melhor equipamento, assegurando que os ciclistas não precisam de se preocupar com nada, a não ser treinar e descansar.

Num mundo desigual, em que algumas equipas por incapacidade financeira lutam por lugares secundários, a história é bem diferente. Neste artigo mostramos os orçamentos das 23 equipas que participam na Volta a França 2021, para termos uma noção dos valores em questão. Lembramos que são valores anuais e que nem todas são World Tour:

  • Alpecin Fenix (Bélgica): 10 milhões de euros
  • Arkéa-Samsic (França): 10 milhões de euros (- 2 milhões do que em 2020)
  • Astana Premier Tech (Cazaquistão): 12 milhões de euros (- 5 milhões do que em 2020)
  • Bahrain Victorious (Bahrain): 18 milhões de euros (+ 2 milhões do que em 2020)
  • Bora Hansgrohe (Alemanha): 18 milhões de euros
  • B&B Hotels P/B KTM (Bélgica): 7,5 milhões de euros (- 1,5 milhões do que em 2020)
  • Citroen AG2R-La Mondiale (França): 23 milhões de euros (+ 6 milhões do que em 2020)
  • Cofidis (França): 13 milhões de euros (+ 1,5 milhões de euros do que em 2020)
  • Deceuninck-Quick Step (Bélgica): 25 milhões de euros (+ 7 milhões de euros do que em 2020)
  • EF Education Nippo (Estados Unidos da América): 12 milhões de euros (+ 2 milhões de euros do que em 2020)
  • Groupama-FDJ (França): 20 milhões de euros
  • Ineos Grenadier (Grã Bretanha): 50 milhões de euros (+ 4 milhões de euros do que em 2020)
  • Intermarché-Wanty Gobert Matériaux (Bélgica): 9 milhões de euros
  • Israel Start-Up Nation (Israel): 18 milhões de euros (+ 5 milhões do que em 2020)
  • Jumbo Visma (Países Baixos): 27 milhões de euros (+ 7 milhões de euros do que em 2020)
  • Lotto Soudal (Bélgica): 12 milhões de euros (- 2 milhões de euros do que em 2020)
  • Movistar (Espanha): 20 milhões de euros (+ 3 milhões de euros do que em 2020)
  • Qhubeka Assos (África do Sul): 8 milhões de euros (- 6 milhões de euros do que em 2020)
  • Team BikeExchange (Austrália): 10 milhões de euros (- 3 milhões de euros do que em 2020)
  • Team DSM (Países Baixos): valor não divulgado
  • Total-Direct Energie (França): 10 milhões de euros
  • Trek-Segafredo (Estados Unidos da América): 14 milhões de euros (+ 2 milhões de euros do que em 2020)
  • UAE Team Emirates (Emirados Árabes Unidos): 35 milhões de euros (+ 5 milhões do que em 2020)

Fonte: www.sportune.fr. 

Porque é que ainda não temos uma equipa Word Tour

Relacionado

Será que vamos ter algum dia uma equipa World Tour?

José Azevedo vai criar uma nova equipa de ciclismo

Relacionado

José Azevedo vai criar uma nova equipa de ciclismo

Revista Ciclismo a fundo nº7 já nas bancas

Relacionado

Revista Ciclismo a fundo nº7 já nas bancas

A impressionante magnitude da Volta a França 2021

Relacionado

A impressionante magnitude da Volta a França 2021

Volta a França 2021: etapas, datas, pontos quentes e a opinião dos especialistas

Relacionado

Volta a França 2021: etapas, datas, pontos quentes e a opinião dos especialistas

Os melhores videos