comitium

Volta a França 2021: etapas, datas, pontos quentes e a opinião dos especialistas

Começa amanhã a edição 108 da Volta a França, a qual terá a presença dos portugueses Rui Costa e Rúben Guerreiro. O percurso terá dois contrarrelógios longos e os Pireneus serão protagonistas de etapas demolidoras. Neste artigo mostramos as 21 etapas.

Volta a França 2021: etapas, datas, pontos quentes e a opinião dos especialistas
Volta a França 2021: etapas, datas, pontos quentes e a opinião dos especialistas

Este sábado arranca a 108ª edição da Volta a França, na localidade de Brest, a qual apresenta um percurso "clássico" com dois contrarrelógios planos - num total de 58 km - e com maior protagonismo dos Pireneus do que dos Alpes. 

Os ciclistas terão de percorrer um total de 3.414,4 km e 49.000 metros de subida acumulada antes de chegar aos Campos Elíseos de Paris, no dia 18 de Julho. Em resumo, serão 8 etapas planas, 5 de média montanha, 6 de montanha - com três finais em alto - e dois contrarrelógios individuais. 

As bonificações na meta para os três primeiros de cada etapa em linha serão de 10, 6 e 4 segundos, e haverá seis subidas que proporcionarão 8, 5 e 2 segundos aos três ciclistas que passarem primeiro (nas etapas 2, 7, 8, 11, 14 e 15, assinalados com um "B" a amarelo nos perfis destas etapas). 

A Bretanha - noroeste do país - acolherá as quatro primeiras etapas com dois finais em subida: Fosse aux Loups (3 km a 5,7%) este sábado em Landerneau, e o Muro da Bretanha (2 km a 6,9%) no domingo. Serão finais explosivos ideais para ciclistas como Alaphilippe, Roglic, Dan Martin...

1ª etapa. 26-Junho. Brest - Landerneau (197,8 km)

etapa 01
 

2ª etapa. 27-Junho. Perros-Guirec - Mûr-de-Bretagne Guerlédan (183,5 km)

etapa 02
 

3ª etapa. 28-Junho. Lorient - Pontivy (182,9 km)

etapa 03
 

4ª etapa. 29-Junho. Redon - Fougères (150,4 km)

etapa 04
 

Após duas etapas planas, que deverão ser resolvidas ao sprint, chega a primeira jornada decisiva do Tour 2021, o primeiro contrarrelógio - de 27,2 km, maioritariamente plano embora com três topos - no qual os especialistas marcarão as diferenças para os trepadores puros. Desde 2008 que o Tour não incluía na primeira semana um contrarrelógio individual tão longo. 

5ª etapa. 30-Junho. Changé - Laval Espace Mayenne (CRI 27,2 km)

etapa 05
 

6ª etapa. 01-Julho. Tours - Cháteauroux (160,6 km)

etapa 06 2 790x454
 

7ª etapa. 02-Julho. Vierzon - Le Creusot (249,1 km)

etapa 07
 

A sétima etapa será longa e rompe pernas (é a mais longa dos últimos 21 anos) e terá cinco subidas pontuáveis na segunda metade. Será a antecâmara das duas jornadas nos Alpes. Na oitava etapa, os ciclistas terão de enfrentar cinco subidas, com três de primeira categoria nos últimos 50 km: Mont Saxonnex (5,7 km a 8,3%), Romme (8,8 km a 8,9%) e Colombiére (7,5 km a 8,5%), antes de chegarem à meta em Le Grand Bornard. No dia seguinte chegarão a Tignes (subida de primeira categoria com 21 km a 5,6%), com passagem por Domancy (subida de segunda categoria), Col du Pré (12,6 km a 7,7%) e Cormet de Roselend (segunda categoria). 

8ª etapa. 03-Julho. Oyonnax - Le Grand Bornard (150,8 km)

etapa 08
 

9ª etapa. 04-Julho. Cluses - Tignes (144,9 km)

etapa 09
 

05 de Julho. Jornada de descanso

Após a primeira jornada de descanso e uma etapa de transição com final em Valence, chega a esperada jornada com dupla subida ao Mont Ventoux, por vertentes distintas. A segunda subida será mais dura (15,7 km a 8,8%), a 22 km da meta em Malaucène. 

10ª etapa. 06-Julho. Albertville - Valence (190,7 km)

etapa 10
 

11ª etapa. 07-Julho. Sorgues - Malaucène (198,9 km)

etapa 11
 

12ª etapa. 08-Julho. Saint-Paul-Trois-Châteaux - Nîmes (159,4 km)

etapa 12
 

13ª etapa. 09-Julho. Nîmes - Carcassonne (219,9 km)

etapa 13
 

14ª etapa. 10-Julho. Carcassonne - Quillan (183,7 km)

etapa 14
 

Depois de duas etapas para os sprinters e uma jornada de média montanha, ideal para uma fuga, volta a alta montanha ao Tour na 15ª etapa. Será em Andorra, estando garantidas as subidas a Envalira e Beixalis (ambas de primeira categoria), a cerca de 15 km da meta. 

15ª etapa. 11-Julho. Céret - Andorra la Vella (191,3 km)

etapa 15
 

12 de Julho. Jornada de descanso

Após a segunda jornada de descanso, os ciclistas vão ter de enfrentar um último bloco de subidas nos Pireneus. A 16ª etapa - na qual terão de subir a Port, Core e Portet de Aspet -, será o aperitivo de duas grandes etapas de montanha deste Tour 2021. Na 17ª jornada, os 60 km finais serão muito duros, com Peyresourde (13,2 km a 7%), Val Louron (7,4 km a 8,3%) e Col du Portet (16 km a 8,7%), situada na meta. No dia seguinte, os ciclistas "somente" terão de percorrer 130 km, mas em contrapartida terão pela frente o mítico e demolidor Tourmalet (17,1 km a 7,3%), antes da subida final a Luz Ardiden (13,3 km a 7,4%). 

16ª etapa. 13-Julho. Pas de la Case - Saint-Gaudens (169 km)

etapa 16
 

17ª etapa. 14-Julho. Muret - Saint-Lary-Soulan (178,4 km)

etapa 17
 

18ª etapa. 15-Julho. Pau - Luz Ardiden (129,7 km)

etapa 18
 

19ª etapa. 16-Julho. Mourenx - Libourne (207 km)

etapa 19
 

Se com toda esta montanha, a geral não ficar logo resolvida, o tira teimas será feito no contrarrelógio final de 30,8 km entre Libourne e Saint Emilion, nas imediações de Bordéus. 

20ª etapa. 17-Julho. Libourne - Saint-Émilion (CRI 30,8 km)

etapa 20
 

21ª etapa. 18-Julho. Chatou - París Campos Elíseos (108,4 km)

etapa 21
 

FIGURAS DO TOUR

O Tour 2021 conta com 184 ciclistas de grande qualidade no pelotão, mas nem todos têm reais hipóteses de conquistar a camisola amarela. Entre os favoritos à vitória nesta edição da corrida francesa destacam-se à cabeça dois atletas: Tadej Pogačar (UAE Emirates) e Primož Roglič (Jumbo-Visma).

O ciclismo esloveno vive um momento de grande euforia. Pogačar está de regresso a França para defender o título conquistado em 2020. Já Roglič tem contas a ajustar com o compatriota depois de no ano passado ter sido batido no contrarrelógio final precisamente por Pogačar, deixando fugir o triunfo no Tour. 

Mas, estas não são as únicas figuras de destaque na Volta a França 2021. O vencedor de 2018, o galês Geraint Thomas, vai liderar uma equipa da INEOS Grenadiers muito forte que inclui dois antigos vencedores do Giro d'Italia, Richard Carapaz e Tao Geoghegan Hart, bem como o terceiro classificado do Tour 2020, Richie Porte.

Chris Froome está de volta ao Tour. Aos 36 anos, o britânico da Israel Start-Up Nation quatro vezes vencedor da prova espera regressar ao seu antigo nível. Contudo será o canadiano Michael Woods a liderar a equipa para atacar a geral.

Nairo Quintana (Arkéa-Samsic), duas vezes vice-campeão do Tour, compete pela oitava vez na prova rainha e espera fazer um bom resultado, tal como Rigoberto Uràn, que vai liderar a EF Education-Nippo.

Já o britânico Mark Cavendish (Deceuninck-Quickstep), segundo ciclista com mais vitórias na história do Tour, pode fazer história e alcançar o recorde de 34 triunfos do belga Eddy Merckx. Cavendish foi convocado à última hora após Sam Bennett ter alegado uma lesão.

Mathieu van der Poel (Alpecin-Fenix), Wout van Aert (Jumbo-Visma), Peter Sagan (Bora-Hansgrohe), Caleb Ewan (Lotto-Soudal), David Gaudu (Groupama-FDJ), Enric Mas (Movistar), Miguel Ángel López (Movistar), Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick-Step), Arnaud Démare (Groupama-FDJ), Michael Matthews (BikeExchange) ou André Greipel (Israel Start -Up Nation) são outros dos nomes fortes esperados nesta edição do Tour. 

Rúben Guerreiro (EF Education – Nippo) e Rui Costa (UAE – Team Emirates) são os únicos portugueses no Tour 2021 e ambos terão papéis distintos nas suas equipas, mas vão tentar entrar em fugas quando tiverem liberdade para tal. 

A OPINIÃO DOS ESPECIALISTAS

José Azevedo: O Tour tem um percurso equilibrado que dá possibilidades a ciclistas de diferentes características de disputar as etapas. Logicamente que para conquistar a geral é preciso ser um bom trepador e esses especialistas são alguns dos favoritos. Mas com 58 quilómetros de contrarrelógio não basta ser forte na montanha e é preciso igualmente ser um bom contrarrelogista. Na minha opinião as etapas-chave deste Tour 2021 são as duas de contrarrelógio (5.ª e 20.ª), e três de montanha em particular (9.ª em Tignes, 11.ª no Mont Ventoux, 17.ª em Col du Portet e 18.ª em Luz Ardiden. Os principais favoritos são Tadej Pogačar e Primoz Roglič, mas a equipa da INEOS tem um bloco muito forte, com vários ciclistas que são opção à geral e podem jogar a corrida a seu favor. Estou muito curioso para ver o rendimento de Primoz Roglič, visto que chega ao Tour com mais de dois meses sem competição.

Paulo Martins: A 108.ª edição do Tour será a prova mais aberta dos últimos 20 anos, com a incerteza do vencedor final provavelmente até ao contrarrelógio da etapa 20. Temos a presença de 10 ex-vencedores de Grandes Voltas: Tadej Pogačar e Primoz Roglič, Richard Carapaz, Geraint Thomas e Tao Geoghen Hart, Simon Yates, Alejandro Valverde, Chris Froome e Nairo Quintana. Os eslovenos, Pogačar e Roglič são os meus favoritos, rodeados de excelentes corredores na montanha. O mesmo pode dizer-se da INEOS e Movistar. Se se juntar ainda, Rigoberto Uran, Bauke Mollema, Esteban Chaves, Rafal Majka, Steven Kruijswijk, Enric Mas, Miguel Angel Lopez, Wilco Kelderman, Richie Porte e Thomas De Gendt, todos ciclistas que terminaram no pódio de Grandes Voltas, então temos a garantia de que este Tour 2021 vai ser um grande espetáculo!

Olivier Bonamici: A pergunta que se impõe antes do Tour é a seguinte: será que um ciclista que não seja esloveno pode ganhar a Volta à França? Em princípio, não! Tadej Pogačar, o menino maravilha de 22 anos, será o favorito número 1. Na estreia ganhou o Tour 2020 de forma estrondosa. E, no início da nova temporada, mostrou que esse triunfo não foi um ‘acidente’. Pogačar conquistou a Volta aos Emirados Árabes Unidos e o Tirreno - Adriático esmagando a concorrência. O compatriota Primož Roglič será o seu principal adversário no Tour. O drama que viveu na última etapa do Tour 2020 marcou todos os adeptos da modalidade e Roglič quererá a vingança. Este ano, à imagem de Egan Bernal antes da Volta à Itália, Roglič optou por não competir, para estar pronto para o Tour. A última corrida de Roglič foi há quase dois meses na Liège-Bastogne-Liège. Mas os dois eslovenos terão um outro adversário neste Tour 2021. Um adversário chamado INEOS! A equipa com o plantel mais rico do ciclismo mundial: Richie Porte, Geraint Thomas, Richard Carapaz e Tao Geoghegan Hart! Quem será o ciclista da Ineos melhor classificado na geral? Em princípio, Thomas será o líder da equipa britânica, mas a estrada irá ditar quem é realmente o melhor dos 4. Porte ganhou o Criterium du Dauphiné 2021, Carapaz a Volta à Suíça 2021 e Geoghegan Hart o Giro 2020! A INEOS pode ter a chave para vencer a corrida se jogar de forma inteligente e conseguir colocar os egos de parte. Um filme de suspense que vamos acompanhar todos os dias no Eurosport!

Carlos Pinto: A soma dos dois contrarrelógios será, do meu ponto de vista, o principal motivo de preocupação dos canditados à vitória. Não sabemos em que real forma está Roglic após muito tempo sem competir e isso pode reverter a favor de Pogacar. Contudo, a equipa de Roglic parece-me mais apetrechada para o ajudar nos momentos chave e, claro, a INEOS terá sempre uma palavra a dizer face ao seu poderio coletivo. Eu não entregaria já o troféu a um dos eslovenos. A estrada é que vai ditar as regras além de um pomenor que temos tendência para esquecer: o plano sanitário dita que se dois ciclistas da mesma equipa derem positivo por COVID num prazo de sete dias, a equipa será automaticamente excluída. É um factor externo, extra competição, mas que poderá influenciar o resultado final. Não posso também deixar de referir a presença dos "nossos" compatriotas, Rui Costa e Rúben Guerreiro. Duas gerações diferentes, mas dois ciclistas de ataque, com "raça", que terão esporadicamente a oportunidade para tentar a sua sorte. Para os nossos emigrantes é muito gratificante que o Tour tenha a presença de ciclistas lusos, mas também, claro, para todos aqueles que em Portugal assistem à prova pela televisão.

ONDE VER A PROVA

Será possível assistir ao Tour em direto tanto no canal Eurosport como na RTP.

Arquivado em:

Como funciona o passaporte sanitário exigido para participar na Volta a França

Relacionado

Como funciona o passaporte sanitário exigido para participar na Volta a França

Rui Costa e Rúben Guerreiro confirmados na Volta a França

Relacionado

Rui Costa e Rúben Guerreiro confirmados na Volta a França

Revista Ciclismo a fundo nº7 já nas bancas

Relacionado

Revista Ciclismo a fundo nº7 já nas bancas

Percurso da Volta a Espanha 2021 já é conhecido

Relacionado

Percurso da Volta a Espanha 2021 já é conhecido

Os melhores videos