Adapta a tua bicicleta às tuas medidas

Existem várias formas de adaptar a bicicleta à tua anatomia. Neste artigo explicamos como.
Carlos Pinto
Adapta a tua bicicleta às tuas medidas
Adapta a tua bicicleta às tuas medidas

Algumas marcas que só têm quatro tamanhos de quadro tentam adaptar-se a todas as pessoas que medem entre 1,5 a 2,2 metros de estatura, o que nem sempre é suficiente. Por isso é frequente ficarmos com dúvidas entre dois tamanhos, e não sabemos qual devemos comprar.

Primeiro devemos tentar experimentar os dois tamanhos, mesmo que alguém nos tente impingir um tamanho específico. O "feeling" de subir à bicicleta e experimentar é precioso nesta matéria. De qualquer modo, se não notaste uma diferença muito grande entre esses dois tamanhos, deves ter em conta que o mais pequeno será mais manejável e divertido, enquanto o maior te dará mais estabilidade nas descidas e uma postura mais desportiva.

Em qualquer dos dois casos, já sabes que deverás negociar com a loja a subsitituição de componentes como o avanço e o espigão de selim para se adaptar a 100%. Quando estas alterações forem feitas notarás grandes mudanças, mesmo que o comprimento do avanço só mude 10 mm, ou caso alteres a posição dos espaçadores do avanço. Experimenta dando pequenas voltas com a bicicleta até atingires o compromisso ideal entre conforto e sensação desportiva.

COMO ADAPTAR A NOSSA BICICLETA ÀS NOSSAS MEDIDAS

Variando o comprimento do avanço conseguiremos aproximar ou afastar o guiador e, portanto, erguer ou baixar as nossas costas, adiantando ou recuando o peso. Se o avanço for mais comprido, o conforto será menor, mas o comportamento nas subidas será melhor. Se for mais curto, será precisamente o contrário. Mas deixamos-te desde já um aviso: se alguém te disser que tem uma bicicleta ideal para ti, mas que para ficar ao teu gosto pessoal terá de colocar um avanço com mais dois centímetros de comprimento do que o montado de origem, deves ficar de pé atrás.

Existem dois tipos de espigão: os retos e os com recuo. Os com recuo variam entre os 5 e os 30 mm. Se ao pedalar estiveres muito curvado, substitui o espigão por um reto, para que estejas numa posição mais neutra e na linha virtual dos pedais. Se, pelo contrário, a bicicleta parece algo curta em termos de tamanho, opta por um espigão com recuo. Nota que os estudos indicam que a rótula deve ficar na linha vertical do eixo do pedal (com o cranque na posição horizontal).

Os espaçadores de direção costumam ser de 5 ou de 10 mm. Coloca-os por cima ou por baixo do avanço, pois assim conseguirás que fique mais alto ou baixo. Nos casos mais extremos será necessário inverter o avanço. Deves ter em conta que uma altura de guiador diferente afeta a posição das costas, pelo que ficaremos mais ou menos erguidos a pedalar.