A mola negativa: uma invenção que visa melhorar a suspensão

Uma suspensão é um equilíbrio de forças. Neste artigo vamos ver porque é que existem forças positivas e negativas para ajudar a absorver os impactos...
Ivan Mateos -
A mola negativa: uma invenção que visa melhorar a suspensão
A mola negativa: uma invenção que visa melhorar a suspensão

Todas as suspensões têm um limitador de extensão, e habitualmente é uma mola de aço sem nenhum tipo de ajuste, que simplesmente evita que quando é atingido o curso máximo não haja um comportamento demasiado brusco. Nas suspensões de gama média/alta e alta, a câmara de ar autoajusta-se em função da pressão da câmara principal ou positiva. Em função da pressão que colocarmos na câmara positiva para o nosso peso, esta mola ou câmara negativa comprime-se mais ou menos, ou seja, a suspensão fica extendida mais ou menos em repouso. Por esta mesma razão, a suspensão de um biker pesado será maior (ao precisar de mais pressão na câmara positiva) do que a de um biker mais ligeiro.

O conceito de câmara de ar negativa foi introduzido há alguns anos pela RockShox na SID, visando procurar um comportamento mais suave no primeiro terço da suspensão, para combater a fricção inicial do afundamento das suspensões ou amortecedores. No início, as câmaras negativas contavam com uma regulação de pressão independente, por isso era possível ajustá-las com mais ou menos pressão de ar e assim conseguir personalizar ainda mais o comportamento, mas também era mais complicado o ajuste da suspensão, por isso pouco a pouco as marcas foram optando por câmaras negativas autoajustáveis, segundo a pressão da câmara principal, e isso está patente nas suspensões de hoje em dia, apesar de ainda continuar a haver amortecedores com ajustes independentes.