comitium

Teste exclusivo: SRAM GX Eagle AXS 1x12 (com preços)

O novo upgrade do kit GX Eagle AXS converte-se na opção mais barata para quem quer comprar uma transmissão eletrónica de BTT.

Jose Luis Arce / Foto: César Cabrera

Teste exclusivo: SRAM GX Eagle AXS
Teste exclusivo: SRAM GX Eagle AXS

Mais do que um grupo completo, o GX AXS Eagle que ontem apresentámos em exclusivo é composto por um kit para fazer "upgrade" (ou melhoria) à nossa transmissão atual. No fundo, é uma forma de conseguir aceder ao mundo das transmissões eletrónicas com a tecnologia AXS a um preço até agora impensável. O conjunto é composto pelo desviador traseiro, manípulo, bateria e protetor, carregador e ferramenta de ajuste. Assim, é possível converter qualquer transmissão mecânica SRAM 1X12 (com cassete 10-50 ou 10-52), em eletrónica sem fios por somente 620€.

A SRAM fez uma jogada de mestre, colocando a tecnologia AXS a um preço muito mais acessível.

As partes eletrónicas do novo SRAM GX Eagle AXS (motor, manípulo, bateria, etc.), são idênticas às das transmissões SRAM XX1 e X01 Eagle AXS, portanto o seu funcionamento é o mesmo.

Atualmente existem 3 milhões de grupos Eagle no mercado. Portanto, se já possuis uma transmissão 1x12, ou seja, uma única cremalheira e uma cassete com 12 carretos, com uma cassete XD com carreto pequeno de 10 dentes, agora podes tornar o seu funcionamento wireless e esquecer os cabos para sempre.

Para poder oferecer a mesma tecnologia, mas a um preço mais baixo, sem comprometer o seu funcionamento, a SRAM teve de recorrer a materiais e acabamentos menos premium e mais pesados. No entanto, e como comprovámos durante o nosso teste, são também mais robustos e fiáveis.

Teste exclusivo: SRAM GX Eagle AXS

 

Por exemplo, o corpo do desviador (onde são alojadas as roldanas) é fabricado em aço, em vez de alumínio ou carbono, como os grupos superiores. Por sua vez, as roldanas têm rolamentos de aço em vez de cerâmicos e todos os parafusos do desviador são igualmente em aço.

Apenas pequenos detalhes diferenciam este grupo das versões superiores.

No nosso caso, percorremos mais de 750 km, superando quase 13.000 metros de acumulado durante 39 horas, para te contar como funciona o novo SRAM GX Eagle AXS. Comprovámos a duração da bateria, a mesma que é utilizada nos grupos AXS de BTT e de estrada. Com um ciclo de carga pedalámos quase 30 horas. A partir das 25 horas a luz do desviador passou de verde para vermelho. Quatro horas mais tarde a cor vermelha passou a intermitente, ou seja, a precisar de ser recarregada.

Teste exclusivo: SRAM GX Eagle AXS

Mais de 750 km, 39 horas e 13.000 m de desnível... este foi o batismo do novo grupo nas nossas mãos

Este converteu-se no grande lançamento para esta temporada. Sem dúvida alguma este SRAM GX Eagle AXS veio revolucionar o mercado. É um conjunto muito atrativo para todos aqueles que sonhavam em adquirir um, mas que achavam o preço inalcançável. Ao conseguir reduzir para menos de metade o preço da tecnologia AXS, a SRAM conseguiu tornar as transmissões sem fios mais acessíveis do que nunca.

DESVIADOR GX AXS

Tem a mesma eletrónica e aspeto de um desviador AXS de gama superior, sendo compatível com cassetes SRAM 10-50 ou 10-52. O sistema do motor e o mecanismo do desviador também são os mesmos que, por exemplo, os desviadores XX1 e X01 Eagle AXS adotam.

Teste exclusivo: SRAM GX Eagle AXS

 

Por exemplo, o mecanismo do desviador (onde as roldanas estão alojadas) é de aço, em vez de alumínio ou carbono (como é o caso dos grupos superiores). Por sua vez, as roldanas apresentam rolamentos em aço, em vez de cerâmicos e todos os parafusos do desviador são também em aço. Quanto aos acabamentos, a marca optou por uma pintura em vez de tons anodizados. Além disso, com o lançamento do SRAM GX Eagle AXS a marca estreou uma tampa protetora para a bateria, que também pode ser adquirida por 20€ para os restantes desviadores Eagle AXS. Pesa 463 gramas, incluindo a tampa da bateria (ou seja, mais 89g que um XX1 Eagle AXS) e custa 383€.

Durante o tempo em que o testámos, só tivemos um ligeiro problema e não se deveu ao sistema em si, mas sim à envolvência (chuva, lama, pó), que provocaram secura e sujidade na transmissão, aumentando o ruído e provocando um ligeiro desajuste. Mas isso é perfeitamente normal em qualquer transmissão.

O melhor: Qualidade de funcionamento, sensação de preço justo

O pior: Obviamente pesa mais do que um XX1

FICHA TÉCNICA

Características: Alumínio e aço, admite até 52 dentes, roldanas com rolamentos em aço. Sistema de embraiagem antichoque. Bateria: SRAM. Peso: 463 g. com bateria e tampa. Preço: 383 €.

MANÍPULO SRAM TRIGGER

É igual ao XX1 e ao X01 Eagle AXS, excepto na cor e acabamentos. Existem duas versões de botão: standard e Rocker. O comando SRAM GX Eagle AXS apenas é vendido com o botão standard. O botão Rocker é comercializado à parte e não está disponível de série. A atualização também apresenta uma abraçadeira mais comprida para evitar interferir com o punho.

Teste exclusivo: SRAM GX Eagle AXS

 

E, tal como todos os componentes AXS, pode ser configurado através da aplicação da SRAM. Ou seja, podemos selecionar o acionamento dos botões tanto no número de carretos que descem como no modo de atuação. Através desta aplicação também é possível atualizar o Firmware, embora já venha de fábrica com a versão mais recente. Também podemos ver o estado das baterias, as desmultiplicações mais utilizadas (isto é bastante útil para personalizarmos ao nosso gosto pessoal), etc. Pesa 79 gramas (com a abraçadeira incluída) e custa 155€.

Tanto a cassete como a corrente, os cranques e o pedaleiro não estão incluídos neste kit, e têm de ser comprados à parte. Convém relembrar que estes componentes foram redesenhados recentemente, tal como o manípulo Rocker - que não vem de série neste grupo -.

O melhor: Simplicidade de instalação

O pior: Se viesse com o novo manípulo Rocker seria espetacular

FICHA TÉCNICA

Funções: Controlo a partir da aplicação AXS da SRAM. Bateria: CR2032 (igual às que usamos nos relógios). Peso: 77 g com abraçadeira. Preço: 155 €.

Vais poder ler o teste completo e em exclusivo na revista BIKE. Fica atento.

Distribuidor: Team Bike e Comet. Site: www.sram.com.

Arquivado em:

Ajuste e manutenção da direção.

Relacionado

Ajuste e manutenção da direção

Colocação e ajuste de eixos passantes

Relacionado

Colocação e ajuste de eixos passantes

Ajuste e manutenção da suspensão

Relacionado

Ajuste e manutenção da suspensão

novo sram rival etap axs

Relacionado

SRAM Rival AXS, a tecnologia sem fios chega à gama média

Os melhores videos