comitium

Mathieu van der Poel ganha o Tour de Flandres e Pogacar vacila

O ciclista holandês da Alpecin-Fenix bateu ao sprint Dylan Van Baarle (INEOS Grenadiers) e Valentin Madouas (Groupama-FDJ). Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) esteve ao ataque, mas vacilou na parte final, acabando em quarto lugar.

Mathieu van der Poel ganha o Tour de Flandres e Pogacar vacila
Mathieu van der Poel ganha o Tour de Flandres e Pogacar vacila

Apesar de Mathieu Van der Poel ser claramente um dos favoritos à vitória, a vitória de ontem não deixa de ser surpreendente e espetacular. O ciclista da Alpecin-Fenix ganhou pela segunda vez o Tour de Flandres, um dos principais Monumentos do Ciclismo, ainda por cima ao sprint. Quanto a Tadej Pogacar (UAE Team Emirates) deu espetáculo, atacando nas subidas e impondo um ritmo que dinamitou a corrida na parte final, contudo, uma desatenção nos metros finais deixou-o com um tremendo amargo de boca. Mas já lá vamos...

PRINCIPAIS MOMENTOS DA CORRIDA

A primeira movimentação na corrida aconteceu quando Iván García Cortina (Movistar) aproveitou as subidas em Berendries (0.9 km a 7%) para encetar uma fuga a cerca de 90 km para a meta, juntando-se um grupo numeroso de ciclistas, entre os quais Yves Lampaert e Zdenek Stybar (Quick Step Alpha Vinyl Team), Alberto Bettiol (EF Education Easy Post), Mads Pederson (Trek Segafredo) e Ben Turner (INEOS Grenadiers). 

Esta fuga durou até Tadej Pogacar atacar na segunda passagem pelo Oude Kwaremont (2 km a 4,4%) e foi nessa altura que os favoritos foram obrigados a tomar a iniciativa, a cerca de 55 km para a meta. Na roda de Pogacar seguiam Mathieu Van der Poel (Alpecin-Fenix), Cristophe Laporte (Jumbo-Visma) e Thomas Pidcock (INEOS Grenadiers). 

Enquanto isso, no Paterberg (0.4 km a 9.7%), Dylan van Baarle (INEOS Grenadiers) e Fred Wright (Bahrain Victorious) aumentavam a sua distância. 

Contudo, um novo ataque de Pogacar fez estragos e no seu encalce só Mathieu Van der Poel conseguia seguir a sua roda, mas já em sofrimento. Pogacar arcou com as despesas da corrida nos quilómetros finais, mas ocasionalmente Van der Poel passava pela frente. Ambos se vigiaram constantemente, sabendo a importância desta vitória nas suas carreiras e no último quilómetro a desconfiança era tanta que ambos reduziram o ritmo, pensando que tinham margem suficiente para um duelo, mas a verdade é que Van Baarle, Madouas, Kung e Teuns vendo a possibilidade de lutarem pelo terceiro lugar empenharam-se a fundo e nos metros finais apanharam o duo da frente, intrometendo-se no sprint final. Van der Poel, claramente o mais explosivo (apesar de muito cansado), ganhou a prova, somando mais um Monumento ao seu palmarés. 

Van Baarle acabou em segundo, Madouas em terceiro e Pogacar em quarto. Rui Oliveira (UAE Team Emirates) não acabou a prova. 

No final, Pogacar queixou-se de ter sido encurralado no sprint final, mas pelas imagens do helicóptero não se vislumbra uma mudança de trajetória drástica dos seus adversários. 

UCI anuncia os calendários do World Tour para 2022

Relacionado

UCI anuncia os calendários do World Tour para 2022

Contratações e saídas das equipas World Tour para 2022 (atualizado)

Relacionado

Contratações e saídas das equipas World Tour para 2022 (atualizado)

(VÍDEO) O truque de Mohoric para ganhar a Milão-Sanremo

Relacionado

(VÍDEO) O truque de Mohoric para ganhar a Milão-Sanremo

[VIDEO] Os "momentos chave" da vitória de Pogacar na Strade-Bianche

Relacionado

[VIDEO] Os "momentos chave" da vitória de Pogacar na Strade-Bianche

Quem é, afinal, Tadej Pogacar?

Relacionado

Quem é, afinal, Tadej Pogacar?

A história por detrás de Mathieu Van der Poel

Relacionado

A história por detrás de Mathieu Van der Poel

Nossos destaques