comitium

Eis o novo calção "inteligente" com corrente elétrica

O seu criador diz que a tecnologia é completamente segura, sem risco de choques elétricos: "A corrente elétrica é sentida como uma espécie de formigueiro."

Eis o novo calção "inteligente" com corrente elétrica
Eis o novo calção "inteligente" com corrente elétrica

Um investigador de neurociência da Universidade de Southampton (Reino Unido) criou um calção "inteligente", que usa sensores elétricos e inteligência artificial para melhorar a função muscular.

Segundo o The Times, Devon Lewis (o investigador que referimos) desenvolveu este calção após estudar as uniões neuromusculares, uma conexão entre o cérebro e os músculos que envia sinais químicos dos neurónios motores às fibras musculares para fazer com que os músculos se contraiam.

Os sensores que o calção possui monitorizam a atividade muscular, enviando informação a uma ferramenta de inteligência artificial, que também está instalada no próprio calção e que calcula que músculos necessitam de estimulação. Os impulsos elétricos são enviados aos músculos através da rede de cabos colocados no tecido.

"Temos uma capacidade limitada para controlar os nossos músculos de forma natural. É possível controlá-los com maior precisão e contraí-los com mais força se os estimularmos diretamente com eletricidade", assegura Lewis.

Lewis também explica que a tecnologia é completamente segura, sem a possibilidade de choques ou descargas elétricas: "A corrente elétrica é sentida como uma espécie de formigueiro. No início estranhamos, mas depois adaptamo-nos rapidamente".

Apesar de não estarem disponíveis muitos detalhes, em princípio o calção será comercializado com uma aplicação que processa os dados recolhidos, ajudando a identificar os desiquilíbrios musculares.

“Todas as pessoas, desde os atletas de alta competição, até pacientes que padecem de distúrbios neurológicos, contarão com o melhor controlo possível dos seus músculos. Muitos setores, desde o desporto de elite até ao exercício recreativo e a reabilitação médica, partilham um objetivo comum: desenvolver o potencial individual melhorando o rendimento muscular e a qualidade de movimento", acrescentou Lewis, que está a produzir o calção na start-up Inpulse e que planeia adaptar a tecnologia para uma utilização em ginásio.

Quanto ao ciclismo e BTT, será praticamente impossível a UCI autorizar a utilização deste "calção inteligente" em competições oficiais.

Arquivado em:

Os melhores videos