Chris Froome vai usar travões de disco em 2021... apesar das dúvidas

O líder da Israel Start-Up Nation demonstrou não estar totalmente convencido dos benefícios dos travões de disco e isso ficou explícito num vídeo publicado há algumas semanas.
Revista Ciclismo a fundo / Foto: Bettini -
Chris Froome vai usar travões de disco em 2021... apesar das dúvidas
Chris Froome vai usar travões de disco em 2021... apesar das dúvidas

Chris Froome confirmou que vai usar travões de disco esta época, apesar de ter algumas dúvidas acerca desta tecnologia. Froome, vencedor por quatro vezes da Volta a França, usou durante 10 anos bicicletas Pinarello com travões de aro e somente agora estreia-se em competição com travões de disco.

Num vídeo publicado no início do mês de Fevereiro, Froome apresentou as características da sua nova bicicleta, a Factor Ostro VAM, mas referiu que não está convencido com os travões de disco, especialmente em descidas longas. "Pessoalmente, não creio que a tecnologia esteja onde deve estar", disse Froome no vídeo.

Anteontem, na apresentação do Tour dos Emirados Árabes Unidos, os jornalistas perguntaram novamente a Froome (líder da Israel Start-Up Nation o que achava dos discos. Isto, apesar de o travão de aro ser uma opção, caso a equipa queira usar. Contudo, toda a equipa decidiu usar travões de disco.

Chris Froome continua com dúvidas. "Temos a opção de usar travões de aro, mas não os vamos usar. Estamos contentes com o rendimento dos travões de disco, mas como mencionei anteriormente, creio que devem ser feitos alguns ajustes em termos de tecnologia".

O vídeo de Froome provocou controvérsia e agitou o debate acerca dos travões de disco e da sua utilização no pelotão profissional. Todas as equipas WorldTour, excepto a Ineos Grenadiers estão a utilizar travões de disco esta temporada. O britânico referiu nesse vídeo "as desvantagens dos travões de disco: os discos e as pastilhas roçam quando os pistons estão minimamente desalinhados; existe a possibilidade de problemas mecânicos; os discos deformam-se um pouco em descidas de 5 ou 10 minutos que exigem uma travagem constante".

“Creio que alguns dos meus comentários provavelmente foram retirados de contexto", disse Froome, claramente consciente da controvérsia que os seus comentários tinham criado.

"Em regra, estou muito contente, especialmente com a bicicleta Factor. Creio que todos os que usam travões de disco reconhecem a desvantagem de ter travões de disco e os pequenos problemas que possuem, especialmente em descidas muito prolongadas. É muito diferente em etapas planas, quando apenas é preciso travar durante alguns segundos a cada "x" quilómetros. Certamente, quando temos de travar em descidas muito longas, todos sabem os problemas que aparecem nessa altura", concluiu o ciclista britânico.