73% dos europeus consideram que a bicicleta deveria beneficiar de um tratamento preferencial

Este é o resultado de um estudo da Comissão Europeia, configurando, na situação atual, a bicicleta como um meio de deslocação diária alternativa que oferece múltiplos benefícios.
Carlos Pinto
73% dos europeus consideram que a bicicleta deveria beneficiar de um tratamento preferencial
73% dos europeus consideram que a bicicleta deveria beneficiar de um tratamento preferencial

A bicicleta tem milhões de utilizadores em todo o mundo, que a usam como uma ferramenta desportiva, ideal para andar na estrada ou nos trilhos. No entanto, há muitos utilizadores que a concebem como forma alternativa a outros meios de transporte, para se deslocarem para o trabalho ou para realizar compras. Algo que, atualmente, ganhou um especial destaque e é proposto como uma opção em expansão, que visa contribuir para a redução da saturação de outros tipos de transporte, sejam públicos ou privados.

Várias associações defendem mudanças nas cidades para que o uso da bicicleta seja mais frequente, como evidencia o estudo da Comissão Europeia que destaca a elevada percentagem de 73% de europeus a apoiarem um tratamento especial no uso da bicicleta em detrimento do automóvel. Além disso, o argumento de que deslocar de bicicleta envolve um grande esforço físico, sobretudo em cidades com declives elevados cai por terra com o surgimento das bicicletas elétricas. Outro argumento contra as bicicletas é o facto de os automóveis atuais disporem de GPS. Claramente é um argumento inválido já que hoje em dia marcas como a Garmin (entre outras) possuem aparelhos específicos para este tipo de utilização, alguns deles mais avançados do que os típicos GPS para automóveis.

Pedalar para uma nova Era

Algumas cidades europeias também começaram a trabalhar em medidas concretas para dar maior destaque às bicicletas, como o aumento das faixas de bicicleta, o alargamento das vias com velocidades limitadas a 30 km/h ou a sua separação física dos veículos a motor. Porque transformar a bicicleta num dos principais meios de transporte para as nossas viagens diárias requer consciência por parte de todos, mas tem múltiplos benefícios a nível social e pessoal.

Em primeiro lugar, quando pegamos na bicicleta estamos a praticar exercício físico e permanecemos ativos, o que ajuda a cuidar da nossa saúde. Além disso, este meio de locomoção não polui e a sua manutenção é geralmente barata, pelo que também contribui para a poupança económica.

Acresce a isto a facilidade de se deslocar através de uma multiplicidade de espaços e uma maior acessibilidade, o que lhe permite explorar novos ambientes, que, com outros meios de transporte, não seria possível. Além disso, é mais fácil encontrar um lugar de estacionamento.

Para ir trabalhar ou às compras, com a ajuda do melhor guia

Perante este novo cenário e a possibilidade de considerar a bicicleta como meio de transporte maioritário, é essencial ter as condições necessárias nas cidades e, também, ajudar os regulamentos estabelecidos e outros instrumentos para alcançar uma mudança de impacto positivo.

Neste sentido, quem, por exemplo, tiver um ciclocomputador Garmin Edge pode utilizar os seus mapas de navegação específica para ciclismo e direções de ponto a ponto (Garmin Cycle Map), bem como introduzir moradas específicas, cruzamentos ou coordenadas para chegar ao destino. Da mesma forma, os seus alertas avisam-nos quando estivermos a aproximar-nos de curvas, para que possamos estar bem informados e prevenidos ao longo do trajeto.

Permite, ainda, acompanhar os quilómetros percorridos todos os dias, decidir e traçar o percurso de ida e volta (ponto a ponto) antes de sair de casa, e fazê-lo com total conforto e simplicidade através da aplicação Garmin Connect. A isto soma-se a possibilidade de pesquisar e acrescentar pontos de interesse ao longo da rota (POIs), entre os quais supermercados, serviços públicos, centros de saúde e hospitais, entre outros. Até é possível alterar a pesquisa para localizar pontos de interesse próximos ou endereços num local diferente, como o destino.

Também permite personalizar o ecrã do ciclocomputador com uma infinidade de widgets e ter acesso às informações necessárias como, por exemplo, informações meteorológicas.

A segurança em primeiro lugar

Manter a família e amigos informados sobre a nossa posição nas deslocações ou passeios de bicicleta confere maior tranquilidade para todos. Este tipo de aparelhos pode ser emparelhado via Bluetooth com um smartphone compatível e beneficiar de funcionalidades como o LiveTrack, que mostra a posição em tempo real. Além disso, por conveniência, permite ver chamadas e mensagens de texto no próprio dispositivo.

Por outro lado, a bicicleta é considerada um meio de transporte seguro, uma vez que os acidentes são minoritários em comparação com outros veículos (a estatística estima dois incidentes de bicicleta por cada 100 de automóveis). Neste sentido, o Garmin Edge destaca-se no mundo dos GPS pois se detetar um incidente, pode encaminhar a nossa localização para o contacto de emergência que já predeterminámos anteriormente.

Para viagens mais longas, o sistema de radar Garmin Varia RTL 510 alerta quando um veículo se aproxima de trás a uma distância de 140 metros, sendo capaz de ver no Edge os diferentes veículos que se aproximam, bem como o nível de risco através de um código de cores. Por sua vez, a luz traseira do radar alerta o condutor do veículo automóvel para a nossa presença. E se também tivermos a luz frontal de alta intensidade Varia UT 800, podemos mover-nos ao longo de qualquer rota com a visibilidade necessária, uma vez que a intensidade ajusta-se automaticamente de acordo com a velocidade e o perfil da rota.