Teste capacete R2 Aero ATH09E

Testámos o modelo aerodinâmico do construtor checo R2, o qual se destaca, para além do design, pela sua construção compacta.
Carlos Pinto -
Teste capacete R2 Aero ATH09E
O R2 tem 14 entradas de ar

Nos últimos dois anos o mercado tem sido inundado por capacetes aerodinâmicos. O design tradicional dos capacetes e a diminuição das vendas por parte de algumas das grandes marcas fez com que este setor tivesse de se reinventar e adotar novas soluções, como são o caso dos capacetes com Leds, com proteção Mips ou sistemas de geolocalização em caso de acidente. Para além desses, os capacetes aerodimâmicos também ocuparam um lugar de destaque. No caso deste R2 Aero, possui mais entradas de ar do que a concorrência. São 14, todas elas com boa volumetria. Destacam-se as três frontais, localizadas na zona da testa, bem como uma no topo do capacete. Teste capacete R2 Aero ATH09E

O design da parte traseira é bastante apelativo

As fitas são fabricadas em tecido tradicional sem tratamento de secagem rápida, mas possuem uma proteção na zona de aperto, para não magoar o pescoço/maçã de Adão. O ajuste é fácil de realizar graças ao tradicional sistema de entalhe que cruza as fitas traseiras e dianteiras. Por sua vez, o ajuste traseiro pode ser regulado em** três diferentes níveis de altura**, sendo o aperto feito através de um rotor em plástico. Teste capacete R2 Aero ATH09E

Na parte superior possui uma grande entrada de ar

As proteções no interior do capacete são várias e todas elas em locais estratégicos, para o máximo conforto, todavia ressalvamos que o nosso capacete de teste não trazia esponjas extra. Em todo o caso, podemos sempre lavar estas, pois incluem um eficaz sistema de velcro que proporciona um encaixe decente após a lavagem e secagem. Notámos que as esponjas secam ligeiramente mais rápido do que as fitas e se és daqueles que sua muito, é preferível deixar o capacete a arejar numa varanda, por exemplo, antes de o guardar. Teste capacete R2 Aero ATH09E

O R2 Aero está disponível noutras cores

Desig compacto

Quando o colocamos na cabeça a primeira coisa que notamos é o encaixe perfeito. Isto depende, obviamente do tipo de cabeça. Há quem tenha a cabeça mais oval, outros têm mais redonda. No meu caso, como tenho a cabeça com um formato mais oval, dei-me muito bem como este modelo. E aqui devemos fazer um reparo: antes de escolheres o capacete experimenta-o numa loja. Tradicionalmente uso o tamanho L, mas por recomendação do Mauro Duarte, importador da marca para o nosso país, optei pelo M. E em boa hora o fiz. Teste capacete R2 Aero ATH09E

Muito bonita a secção central da parte traseira, misturando o vermelho com o branco e o preto

O seu design fica justo à cabeça. Não é daqueles capacetes que oscila, ou que parece um "penico" em cima da cabeça, e isso é agradável, pois hoje em dia o capacete também é visto como um acessório de moda dentro do mundo do ciclismo. Não posso dizer que andei mais rápido, pois segundo os dados das minhas voltas, as médias foram semelhantes e mesmo que existissem melhorias seriam ganhos marginais. Mas ressalvo um aspeto: é um capacete sólido e bonito.

Para além disso, cumpre os propósitos iniciais: segue as normas europeias estabelecidas para este tipo de capacetes e tem uma construção In-Mold. Não é um capacete "amigo dos óculos" na perspetiva de que não é fácil encaixar as hastes nas aberturas de ventilação. Quanto ao tipo de utilização, usei-o tanto com tempo quente, como nestes dias mais frescos, sem notas negativas a destacar. Contudo,os acabamentos podiam ser mais cuidados, sobretudo na junção da parte superior em plástico com o exo-esqueleto. Algumas partes estão mal rematadas. No cômputo geral, até é um capacete com qualidade e com um preço (99,99 euros) e peso (pouco mais de 260g) dentro da média. Este modelo está disponível em M (55-59 cm), e L (58-62 cm) exclusivamente. Para além desta cor, há em branco e preto. Poderás saber mais aqui

PODE SER DO TEU INTERESSE

A marca nipónica é uma referência não só ao nível das transmissões de bicicleta e pedais, mas também ao nível do calçado. Testámos a nova versão dos S-Phyre que sofreu melhorias assinaláveis.

Numa altura em que existem no mercado várias dezenas de marcas de suplementos desportivos, testámos as barras vegan da marca holandesa Bye.