comitium

José Dias e Hans Becking aumentaram a vantagem para os adversários na Brasil Ride

A quinta etapa da Brasil Ride foi decidida ao sprint, com a vitória a ser festejada pela dupla brasileira Gustavo Xavier/ Alex Malacarne. Edson Rezende/Ulan Galinsi e Hans Becking/José Dias completaram o top 3

José Dias e Hans Becking aumentaram a vantagem para os adversários na Brasil Ride
José Dias e Hans Becking aumentaram a vantagem para os adversários na Brasil Ride

A quinta etapa da Santander Brasil Ride Bahia mostrou que o cansaço entre os participantes já é muito grande e que é necessário poupar energias sempre que possível. A jornada ligou Guaratinga a Arraial d´Ajuda (em Porto Seguro) e foi um dia muito positivo para José Dias e Hans Becking, pois aumentaram a margem para os seus rivais mais diretos. A dupla composta por Gustavo Xavier e Alex Malacarne discutiu ao sprint a vitória, batendo a dupla Edson Rezende / Ulan Galinski. 

Já no setor feminino, as alemãs Naima Diesner e Anna Jordens voltaram a ganhar (terceira etapa consecutiva), estando agora - na geral - a apenas 5 minutos de Marcella Toldi e Lutecia Azevedo. Mas vamos recapitular o filme da prova...

O dia foi marcado pela liderança de quatro duplas na maior parte da etapa: Periklis Ilias/Andreas Miltiadis (DMT Marconi II), que tiveram de enfrentar um problema na roda de Andreas, sensivelmente ao quilómetro 100, perdendo assim a hipótese de lutar por um lugar no pódio; Gustavo Xavier/Alex Malacarne (Specialized Racing BR); Edson Rezende/Ulan Galisnki (Caloi Henrique Avancini Racing); e Hans Becking/José Dias (Buff Scott MTB). 

Com o terceiro lugar de Hans e José na etapa, a dupla luso holandesa lidera com 18min58 de vantagem, ao totalizarem 18h14min31 na soma dos cinco dias. Se nada de anormal acontecer, existem grandes possibilidades de ganharem a prova. Mas a grande novidade na classificação geral está precisamente no segundo e terceiro lugares. Edson e Ulan estão em segundo lugar (18h33min29), seguidos de Gustavo e Alex (18h37min38). Sherman Trezza e Lukas Kaufmann (Ciclogiro Scott/Hoffmannpedal Sport), que chegaram a ser líderes nas etapas 2 e 3, estão agora no quarto lugar da geral (18h41min18).

"Que etapa, que dia. Não sabia como é que nos iríamos sentir nestes mais de 140 km, a maior etapa que já fizemos em BTT, por isso não tínhamos a certeza de nada. Sobrevivemos a primeira metade, que não tinha muitas subidas.", relatou Malacarne. 

399930 993325 rb 211111 brasilride st5 128 edit web
 


"Mais de 5 horas e meia, com 26 km/h de média. Adotámos um ritmo muito bom. No pelotão dos líderes, abrimos uma distância bem grande para os perseguidores. Chegámos ao sprint final com três duplas, numa ótima disputa. Temos mais duas etapas pela frente, mas encerro este dia muito feliz, porque sou um ciclista focado em cross country olímpico. É muito gratificante conquistar esta vitória", disse Xavier.

Alemãs encurtam a distância 

Naima Diesner e Anna Jördens continuam a apertar o cerco em relação às líderes da classificação feminina, Marcella Toldi e Lutecia Azevedo. Se na segunda-feira (dia 8), quando tiveram problemas técnicos, a diferença ficou em 39 minutos, agora apenas 5 minutos separam as duas duplas na busca pela vitória na geral.

"Perdi uma vida hoje", disse Anna, em tom de brincadeira. "A cerca de 45 minutos para o início da etapa, fui para o posto médico porque não me sentia nada bem. Durante a corrida, a única coisa que eu via era a roda traseira da Naima. No final, senti-me realmente bem e ela mal. A vida no ciclismo é assim.", completou a alemã.

As mesmas sensações tiveram as líderes da categoria feminina. "Esta foi a mais dura de todas as etapas para nós. Deixámos de as ver logo no início, no primeiro ataque na subida. A Lutécia não estava bem no início, mas entretanto melhorou e eu piorei. Chegou uma altura em que pura e simplesmente esquecemos as adversárias. Até que chegámos num ponto de hidratação e recebemos a informação da distância e fomos para o tudo ou nada. Continuamos na liderança, com vantagem. Acho que nesta sexta-feira (dia 12) a prova será praticamente decidida", comentou Marcella.

399930 993336 wt 111121 br2021 00038 web
 

Pandemia une pai e filho no BTT

Na sua sexta participação no Santander Brasil Ride Bahia, Claudio Hackenhaar está a viver uma experiência fora do normal. O empresário gaúcho, radicado em Porto Seguro há 24 anos, está a participar com o seu filho, Murilo. E foi a pandemia de Covid-19 que possibilitou ao experiente ciclista fazer parelha com um estreante. Com o início das medidas de confinamento, Murilo trocou as saídas com os amigos pela bicicleta ao lado do pai. E decidiu arriscar e participar nesta prova.

"Comecei a praticar BTT há um ano e meio, praticamente, no início da quarentena. Tivemos a ideia de fazer esta dupla e estamos a aproveitar", disse Murilo, de 26 anos. "É um privilégio e uma sensação indescritível pedalar com o meu pai. Acho que é algo raro isto acontecer, pai e filho numa dupla. Quando há zonas técnicas, sigo a roda dele. Já nas subidas, tenho de abrandar o ritmo para irmos juntos", comentou.

"Já participei com amigos, depois com a minha esposa, e agora com o meu filho. A mais difícil foi a primeira vez, na Chapada Diamantina, pela pouca experiência. Mas, todas têm o seu nível de dificuldade e fico sempre surpreendido. Terminar a prova com a minha esposa em 2019, e agora estar a participar com o Murilo, está a ser maravilhoso. Sinto-me feliz e um priveligiado. Para mim, isto é um presente que estou a oferecer a mim mesmo", disse Claudio, de 48 anos. "Quando a pandemia surgiu, ele não podía ir a festas, por isso começou a praticar BTT. É muito disciplinado e acredito que em 2022 ele estará mais forte, com mais técnica e com um parceiro do nível dele", finalizou.

399930 993338 murilo e claudio web
 

Portugueses em bom plano

Valério Ferreira e Marco Macedo voltaram a estar no pódio da categoria Master, com o terceiro posto na jornada. Já Celina Carpinteiro e José Silva (categoria mista) acabaram em quarto lugar, mas continuam na liderança na geral, com uma vantagem muito confortável. Poderás ver todos os resultados, incluindo dos restantes portugueses em prova aqui

Top 5 da etapa

Elite masculina:
1 - Gustavo Xavier (BRA) / Alex Malacarne (BRA) - 5h31min37
2 - Edson Rezende (BRA) / Ulan Galinski (BRA) - 5h31min41
3 - Hans Becking (HOL) / José Dias (POR) - 5h31min46
4 - Sherman Trezza (BRA) / Lukas Kaufmann (BRA) - 5h50min26
5 - Periklis Ilias (GRE) / Andreas Miltiadis (CYP) - 5h52min36

Elite feminina: 
1 - Naima Diesner (ALE) / Anna Jördens (ALE) - 7h05min26
2 - Marcella Toldi (BRA) / Lutecia Azevedo (BRA) - 7h16min34
3 - Aline Olmedo (BRA) / Lucinéia Brunetta (BRA) - 7h41min46
4 - Laianna Lacerda (BRA) / Natalia Radatz (BRA) - 9h09min20
5 - Ada Pires (BRA) / Raissa Zortea (BRA) - 9h29min16

Top 5 acumulado

Elite masculina:
1 - Hans Becking (HOL) / José Dias (POR) - 18h14min31
2 - Edson Rezende (BRA) / Ulan Galinski (BRA) - 18h33min29
3 - Gustavo Xavier (BRA) / Alex Malacarne (BRA) - 18h37min38
4 - Sherman Trezza (BRA) / Lukas Kaufmann (BRA) - 18h41min18
5 - Andrew Henriques (POR) / Filipe Francisco (POR) - 18h59min36

Elite feminina:
1 - Marcella Toldi (BRA) / Lutecia Azevedo (BRA) - 24h20min56
2 - Naima Diesner (ALE) / Anna Jördens (ALE) - 24h26min04
3 - Aline Olmedo (BRA) / Lucinéia Brunetta (BRA) - 28h56min58
4 - Ada Pires (BRA) / Raissa Zortea (BRA) - 33h20min52
5 - Laianna Lacerda (BRA) / Natalia Radatz (BRA) - 33h45min26

Arquivado em:

José Dias

Relacionado

José Dias e Hans Becking vencem a etapa rainha da Brasil Ride

Brasil Ride etapa 2

Relacionado

Dia agridoce para os portugueses presentes no Brasil Ride

Brasil Ride vai organizar prova por etapas em Portugal em Maio de 2022

Relacionado

Brasil Ride vai organizar prova por etapas em Portugal em Maio de 2022

José Dias e Hans Becking terminam o Cape Epic no terceiro lugar

Relacionado

José Dias e Hans Becking terminam o Cape Epic no terceiro lugar

Os melhores videos