Agosto, o plano B do Tour

Os organizadores da Volta a França trabalham numa alternativa caso a pandemia do coronavirus impeça a realização da prova nas datas inicialmente previstas.
Luis Miguel Pascual (EFE) fotos: Bettini Photo -
Agosto, o plano B do Tour
Agosto, o plano B do Tour

Oficialmente o Tour mantém as suas datas entre 27 de Junho e 19 de Julho, mas os organizadores trabalham num plano B: o de se disputar em Agosto caso a pandemia viral os impeça de manter o projecto inicial.

O director da prova, Christian Prudhomme, já começou a sondar os presidentes de câmara das cidades de partida e chegada das etapas no sentido de perceber se estariam dispostos a manter o seu compromisso em Agosto para um novo calendário: saída de Nice a 25 de Julho e término em Paris a 19 de Agosto.

Fontes contactadas pela agência EFE e aqui citadas por nós, asseguram que a maioria dos vereadores têm opinião positiva: “é melhor ter o Tour em Agosto do que não o ter ou tê-lo sem público”.

Presidentes de câmara favoráveis

Michel Villa, autarca de Privas, zona na região administrativa de Auvérnia-Ródano-Alpes, tinha tudo pronto para receber o vencedor da quinta etapa no dia 1 de Julho. “Não há problema em adiar um mês se nessa altura as condições de saúde forem favoráveis. Podemos manter a logística prevista”, assegurou à EFE em conversa telefónica. Também não vê obstáculo para os comerciantes e hoteleiros da cidade do Vale do Ródano onde o Tour ia parar antes de entrar nos Alpes. “O dia 1 de Julho seria perfeito pois ia permitir-nos lançar a temporada turística, mas este ano tudo ficará adiado”. Privas é estreante nestas andanças de receber o Tour, mas os governantes locais não duvidam dos benefícios de ter lá a etapa. Como muitos outros municípios, Privas teve de abrir os cordões à bolsa para ter a caravana da mais prestigiada prova velocipédica do mundo.

Outros autarcas que preferem manter o anonimato asseguram que a organização do Tour já os sondou acerca de uma eventual mudança de datas. Fontes do evento asseguram que até 15 de Maio não se irá tomar nenhuma decisão sobre a edição de 2020, mas confirmam que se está a trabalhar em hipóteses diferentes caso a Covid-19 impeça os planos iniciais.

Após o cancelamento do Grand Slam de Wimbledon, o Tour é o único grande evento desportivo de verão que, por enquanto, ainda não mandou a toalha ao chão. Os organizadores sabem que têm os olhos postos, neles mas não perdem a esperança.

Fontes do evento também entraram em contacto com equipas que não se opõem a um adiamento da prova. Isso dar-lhes-ia mais tempo para preparação dos ciclistas após o confinamento e talvez conseguissem incluir um training camp de uma semana ainda antes da prova.

Mais tempo de preparação

A opinião generalizada dos treinadores, é a de que, além do treino, os ciclistas precisam de ritmo competitivo antes de enfrentar as 21 etapas do Tour. Já em termos logísticos, os organizadores consideram que o trabalho feito também serve para o mês de Agosto, excepto no tema dos hotéis, mas concordam com o autarca de Privas quando este diz que o sector turístico ficará radiante com a etapa do Tour em Agosto após a paralização a que o confinamento obrigou.

Entre 15 de Julho e 15 de Agosto devem atingir-se as temperaturas mais altas em França, o que também deve permitir ao evento gozar de melhores condições climatéricas nas novas datas.

O Tour, a realizar-se um mês mais à frente, também será uma boa notícia para os membros das forças de autoridade. Saturados por vigiarem o confinamento das pessoas durante os últimos meses, estes profissionais serão muito solicitados durante a Volta a França, e por isso, mais um mês de margem será positivo para as forças de autoridade.