Rumores de que a Mavic fechou não são verdadeiros

Ao contrário do que apareceu publicado em alguns sites, a marca francesa tem assegurada a sua continuidade e 2021 será um ano importante pois regressará às suas raízes.
Julio Vicioso -
Rumores de que a Mavic fechou não são verdadeiros
Rumores de que a Mavic fechou não são verdadeiros

Desde que a marca foi integrada no grupo finlandês Amer Sports (que inclui marcas como a Suunto, a Salomon, a Wilson e a Arc´Teryx), a Mavic passou por várias fases e foi alvo de rumores que acabaram por se tornar realidade em 2018 quando o grupo escandinavo vendeu a marca originária de Annecy ao grupo de investimento americano Regent LP, o qual passou a contar com capitais chineses. Casualidades à parte, foi o próprio grupo Amer Sports que acabou em mãos orientais pouco depois.

Fundada em 1889, a Mavic é uma das marcas icónicas no mundo do ciclismo, com uma sólida e reconhecida estrutura em França. Foi precisamente esta estrutura que chegou a um ponto de rutura com o grupo Regent LP sem sequer terem passado os três anos de transição previstos no acordo entre a Amer Sports ao realizar a venda. De facto, a Mavic continua a funcionar quase como mais uma marca dentro do grupo Amer Sports, utilizando a logística do grupo e inclusivé os sistemas de contabilidade.

Ao não cumprir com os prazos previstos de transição, o próprio grupo investidor californiano paralizou o processo, e foi isso que levou a Mavic a pedir uma ajuda ao governo francês para salvaguardar os 200 empregos diretos da Mavic em França (no mundo inteiro são cerca de 250) no passado sábado.

Este pedido de ajuda fez com que todos os sistemas legais se ativassem, estando a Mavic sob administração judicial, e isto ficou ativo na quarta feira, dia 6 de maio, embora a boa notícia seja que já existe alguém (não podemos dizer quem) que poderá dar viabilidade à Mavic num período de tempo bastante curto.

A nível de mercado, as novas coleções foram adiadas para depois do Verão, e na filial da Mavic Iberia (responsável também pelo mercado português), os funcionários estão a trabalhar a cem por cento, embora com as restrições devido ao Covid 19. Em França, a Mavic irá reabrir as suas portas já na segunda feira e continuará a prestar serviço a todos os seus clientes com total normalidade.