Raymond Poulidor faleceu, aos 83 anos de idade

É o ciclista que mais pódios tem no historial do Tour (oito), prova na qual nunca conseguiu vestir de amarelo. O francês - avô de Mathieu Van der Poel - estava hospitalizado há semanas.
Carlos Pinto
Raymond Poulidor faleceu, aos 83 anos de idade
Raymond Poulidor faleceu, aos 83 anos de idade
PODE SER DO TEU INTERESSE

Raymond Poulidor, uma das lendas do ciclismo mundial, faleceu esta madrugada aos 83 anos de idade na localidade onde residia, Saint-Léonard-de-Noblat, após várias semanas hospitalizado. O ex-ciclista francês teve de ser internado no início do mês de outubro devido a um cansaço extremo, não tendo recuperado.

Conhecido carinhosamente como "Poupou", Poulidor tem o recorde de pódios na Volta a França (oito), prova que nunca conseguiu vencer - nem sequer vestir de amarelo -, ao coincidir no tempo com dois dos maiores ciclistas da história, Jacques Anquetil e Eddy Merckx. Mesmo assim, entre 1960 e 1977 acumulou um palmarés impressionante: três vezes 2º classificado, cinco vezes terceiro classificado e sete vitórias de etapa na Volta a França; vencedor da Volta a Espanha de 1964 e segundo classificado no ano seguinte; vice-campeão do mundo de estrada em 1974 - com Eddy Merckx de novo no seu caminho - e três vezes terceiro; vencedor de inúmeras provas de prestígio como a Paris-Nice (duas vezes), Dauphiné-Liberé (duas vezes), Milão-San Remo, Fleche-Wallone, Grande Prémio das Nações...

No total, Raymond Poulidor - que era um excelente trepador - alcançou 189 vitórias nas 18 temporadas como profissional. Filho de pais modestos, Poulidor encarnou nos anos 60 o esforço do homem humilde, ao contrário da figura mais fria e calculista como era Jacques Anquetil, que construiu os seus triunfos graças à sua superioridade no contrarrelógio. Além disso, ainda encontrou pelo caminho o "canibal" Eddy Merckx. Consciente do seu mediatismo, confessou numa entrevista recentemente que ainda era lembrado por ter sido o "eterno segundo". E fez questão de frisar que se tivesse ganho, provavelmente não teria a mesma importância.

Nos últimos anos, Rayomond Poulidor foi um dos rostos habituais da caravana da Volta a França, já que após abandonar o ciclismo profissional passou a ser comentador de ciclismo e embaixador de várias marcas, bem como do próprio Tour. A sua figura transcendia o mundo do desporto, sendo uma pessoa muito querida pelo seu carácter simples e amável.