Provas de BTT e de ciclismo ainda aguardam autorização para retomar

O desconfinamento que o nosso país está a atravessar desde o passado mês de maio, parece ter duas velocidades no que diz respeito ao desporto. Enquanto o futebol já retomou, as restantes modalidades - como o ciclismo e o BTT - esperam e desesperam por novidades...
Carlos Pinto
Provas de BTT e de ciclismo ainda aguardam autorização para retomar
Provas de BTT e de ciclismo ainda aguardam autorização para retomar

Os dias passam, os atletas continuam a treinar, mas a decisão final nunca mais chega. "Tratam-nos como se não fossemos nada", disse-nos um ciclista que pediu anonimato. A situação começa a ficar preocupante para todos aqueles que vivem do ciclismo. E não falamos apenas do ciclismo de estrada, mas também do BTT, do BMX e da pista.

Tudo está em stand by até novas ordens. E foi solicitado pelo Estado às várias federações responsáveis por cada modalidade que preparassem um dossier detalhado com as suas sugestões para o reinício da atividade desportiva. No caso da Federação Portuguesa de Cicllismo, sabemos que o fez, estando apenas a aguardar a autorização do Estado. Aliás, no caso da FPC, o dossier até foi elogiado pela diretora-geral da Direção Geral de Saúde, contudo, a responsável alertou que a decisão cabe ao Estado e não à entidade que tutela a saúde no nosso país.

Não sabemos se nesse plano de reinício de atividade está contemplada uma secção reservada ao BTT - aliás, acreditamos que sim -, contudo a passagem do tempo está a deixar equipas, atletas, organizadores e a toda a indústria que vive deste setor em estado de nervos.

É sabido que outras federações também já entregaram ao Estado o seu plano para o reinício da sua atividade, e que também elas aguardam um parecer favorável, mas parece haver aqui um tratamento diferenciado quando se fala de futebol. O "desporto rei", como lhe chama a comunicação social focada nessa modalidade, teve em tempo recorde uma resposta do Estado, com direito a reunião de alto nível.

As outras modalidades têm de aguardar por melhores dias, tentando não desesperar, neste mundo de incertezas. A própria Volta a Portugal anseia por uma resposta - há toda uma máquina oleada que só precisa de um sim para entrar em modo cruzeiro - bem como a comunidade do BTT, nas suas variantes.

O Estado provavelmente está à espera que outros países retomem estas atividades desportivas para ter meio de comparação e saber que normas estão esses países a adotar - pois nisto tudo estamos literalmente a navegar à vista -, mas o problema é que estas modalidades não podem esperar.

Tudo pode ser feito com cautela e com normas sanitárias. Os ciclistas e betetistas já disseram que estão dispostos a seguir todas as recomendações do SNS. E todos sabem que estarão sujeitos a controlos. É um risco assumido, mas controlado.

Urge decidir, urge retomar, mas também urge acautelar, apaziguar e, se assim for permitido... urge desfrutar.