Dowsett adia a tentativa de bater o recorde da hora após acusar positivo no teste ao COVID 19

"Estou realmente decepcionado, mas a minha saúde é a prioridade", disse o britânico da Israel-Start Up Nation. A tentativa de bater o recorde estava agendada para o dia 12 de dezembro.
Carlos Pinto / Foto: Bettini -
Dowsett adia a tentativa de bater o recorde da hora após acusar positivo no teste ao COVID 19
Dowsett adia a tentativa de bater o recorde da hora após acusar positivo no teste ao COVID 19

A tentativa de bater o recorde da hora por parte de Alex Dowsett - prevista para o dia 12 de dezembro em Manchester - terá de ser adiada dado que o britânico da Israel Start-Up Nation acusou positivo no teste ao Covid-19.

"Estou realmente decepcionado por não poder realizar esta tentativa de bater o recorde da hora como estava planeado, mas a minha saúde é a prioridade", disse Dowsett num comunicado. "Gostaria de agradecer aos organizadores do evento, aos patrocinadores, à minha equipa, à UCI e sobretudo ao público pelo seu apoio e espero conseguir bater o recorde em 2021. Espero anunciar uma nova data o mais rápido possível".

Dowsett explicou nas redes sociais que pouco depois de anunciar a sua tentativa de bater o recorde da hora começou a ter sintomas de COVID 19 e que o resultado do teste foi positivo. "Agora estou concentrado na recuperação, no isolamento e na minha saúde", referiu.

Lembramos que no dia 2 de maio de 2015, Alex Dowsett bateu em Manchester o recorde da hora ao percorrer 52,93 km. No entanto, esse recorde durou pouco tempo dado que o seu compatriota Bradley Wiggins bateu esse valor 36 dias depois, estabelecendo-o em 54,52 km. Quatro anos mais tarde - no dia 16 de abril de 2019 - o belga Victor Campenaerts percorreu 55,08 km numa hora no velódromo de Aguascalientes (no México), fixando o vigente recorde da hora.