Como é que te deves comportar numa loja de bicicletas?

Pode parecer básico, mas qualquer funcionário ou gerente de uma loja de bicicletas passa por vezes as "passas do Algarve" com alguns clientes. Se queres ser o "cliente favorito" da loja que costumas frequentar, não deixes de ler este artigo.
Carlos Pinto
Como é que te deves comportar numa loja de bicicletas?
Como é que te deves comportar numa loja de bicicletas?

Temos desde já de referir que já trabalhámos em lojas de bicicletas e que, tal como a maioria de vocês, também somos clientes das lojas tradicionais. Os tempos modernos mudaram muita coisa, a internet alterou completamente o paradigma dos negócios, incluindo no mundo das bicicletas e a incerteza neste meio impera.

Todavia, há lojas que prosperam, sobretudo aquelas que souberam adaptar-se às mudanças, as que são dinâmicas e as que possuem gerentes ou funcionários que são claramente uma mais-valia para o negócio.

Mas este artigo baseia-se nos clientes e na relação destes com as lojas. Como dissemos anteriormente, a internet trouxe mais uma forma de venda de produtos, nalguns casos com preços inferiores aos praticados no retalho internacional. Isto tem explicação, pois as empresas que detêm esses sites compram diretamente às fábricas grandes quantidades, sem a necessidade de stock físico, com expedição direta para os clientes. Isto evita os custos intermediários que as lojas físicas têm, mas não aporta as mais valias dos espaços tradicionais: o aconselhamento profissional, a montagem, calibração e o serviço pós-venda que apenas as lojas físicas podem proporcionar.

Sendo cliente de uma loja física em pleno século XXI, como é que nos devemos comportar? Esta pergunta parece descabida, mas em conversa com vários lojistas, todos disseram o mesmo: cada vez têm menos paciência para alguns clientes. E porquê? Porque alguns apenas vão às lojas para conversar, para fazer várias perguntas acerca de produtos que acabarão por nunca comprar e mesmo para experimentar vestuário ou calçado que acabam por comprar na internet. Por isso, estabelecemos os 10 mandamentos do bom consumidor. Toma nota:

1 - Cumprimentar ao chegar é meio caminho andado para teres a atenção dos responsáveis da loja. Não dizemos isto em vão. Quantas vezes fomos a lojas onde os clientes entraram, perguntaram friamente algo e saíram sem agradecer?

2 - Não entres na zona de oficina, a não ser que sejas convidado. Muitos lojistas queixaram-se que alguns clientes entram pela zona da oficina como se fosse um espaço de livre acesso. Não há nada que irrite mais um mecânico do que ver o seu espaço invadido.

3 - Não encomendes o que quer que seja se não tiveres minimamente a certeza de que queres comprar esse produto. Conhecemos casos em que clientes encomendaram produtos (sem pagar uma caução) e depois desistiram sem qualquer explicação. O lojista deste modo perde dinheiro (pois fica com um "mono" na loja que pode - ou não - acabar por vender.)

4 - Não tentes enganar o lojista. Há quem vá às lojas experimentar produtos ou vestuário - para confirmar o tamanho certo - e depois acabam por comprar na internet. Ninguém obriga ninguém a comprar no espaço "A" ou "B", mas de certa forma é uma falta de respeito já que a loja está a prestar um serviço.

5 - Evita passar o tempo na loja sem comprar nada. Alguns clientes vão às lojas e ficam literamente uma manhã (ou tarde) inteira a falar dos mais diversos assuntos e acabam muitas vezes por não comprar nada. As lojas têm de faturar e nos dias que correm, o trabalho de oficina é o que tem salvado grande parte dos negócios, portanto evita conversas muito longas e, sempre que possível, compra algo, nem que seja uma barra energética ou um gel.

6 - Um miminho de vez em quando ficava bem. Quantas vezes é que a loja que frequentas te safou numa situação apertada ou fora de horas? Ou a encontrar a peça "XPTO" que andas a falar desde a "Idade Média"? Por isso, de vez em quando mima essa loja, quer promovendo o espaço nas redes sociais (uma foto e um pequeno texto de agradecimento), uma caixa de chocolantes ou algo parecido fará com que fiques a ser automaticamente o Cliente do Ano.

7 - Não critiques sem saber. Por vezes, achamos que as lojas fazem um mal serviço por isto ou por aquilo, mas sem conhecermos todos os ângulos não devemos falar. Como cliente, tenta afastar-te de intrigas. Se a loja sempre te tratou bem, se sempre resolveram os teus problemas e se não tens nada de que queixar, não entres em polémicas.

8 - Incentiva de vez em quando. Trabalhar num espaço confinado, estando à revelia das oscilações do mercado, da concorrência (alguma dela desleal) e das condições climatéricas, por vezes é complicado. Há quem pense que trabalhar numa loja de bicicletas é um paraíso, mas por vezes torna-se massacrante estar todo o dia a ver bicicletas. Se és um cliente habitual, tenta conhecer os outros gostos pessoais dos mecânicos e donos das lojas, pois a vida não se resume a duas rodas...

9 - Ajuda no que for preciso. Por vezes, é nas alturas de maior aperto que se vê quem são realmente os bons clientes e amigos. Se a loja vai organizar um passeio ou uma festa, por exemplo, podes voluntariar-te para ajudar. Não só te estarás a demarcar dos demais, como passarás a estar noutro patamar como cliente.

10 - Atenção aos horários. Cada loja tem um horário próprio, por isso evita prolongar em demasia a tua estadia na loja para além do horário normal. Não te esqueças de que quem lá trabalha também tem família e geralmente, até por uma questão de educação, não serão eles a mandar-te embora.