Já testámos as novas Mavic Cosmic SLR 45

Leves, resistentes, confortáveis, absorventes e aptas para uma utilização diária. É assim que definimos as novas rodas da Mavic e incluímo-las na nossa lista de melhores rodas à venda no mercado.
José Gisbert -
Já testámos as novas Mavic Cosmic SLR 45
Já testámos as novas Mavic Cosmic SLR 45

As SLR 45 para travões de disco fazem parte da coleção 2021 da Mavic recentemente apresentada. São rodas em carbono, com um peso baixo e com tecnologias novas (Fore) e novos cubos Infinity.

Durante a montagem dos pneus ficou logo patente uma das principais diferenças face à geração anterior de rodas, pois o lábio do aro (no rebordo), que antes ajudava a manter o pneu no seu sítio se rolássemos com pouca pressão, mas que convertia a desmontagem num autêntico suplício se não usássemos desmontas, foi alterado. E agora, o canal central foi alargado para que a montagem e a desmontagem sejam fáceis. Tal como em todos os outros testes, experimentámos vários tipos de pneus convencionais - com câmara - e tubeless para verificar a sua compatibilidade. E como não precisa de fita - o aro prescinde das furações para as cabeças dos raios - o peso foi reduzido, mas fica assegurada a resistência do aro e, sobretudo, que o sistema fique estanque, caso usemos pneus tubeless.

Já testámos as novas Mavic Cosmic SLR 45

Estas rodas têm uma largura interna de 19.2 mm - segundo as nossas medições - um valor inferior à tendência atual de 21 ou mais milímetros (as Zipp 303 Firecrest chegam a medir 25 mm). Segundo a teoria, quanto mais largas forem as rodas, menos perda de energia pela deformação, e na prática mais conforto e aderência geram, ao permitir baixar a pressão. Contudo, também é verdade que um aro muito largo filtra as sensações que recebemos do asfalto, reduzindo a sensação de velocidade e o controlo que uns pneus de 25 mm proporcionam num aro com a largura interna das Cosmic SLR que testámos. Os nossos pneus, após instalados, apenas aumentaram aproximadamente 1 mm face à medida indicada no flanco - de 24 mm para 25,5 na dianteira e de 26 mm para 27 na traseira -, uma vantagem para aqueles que têm um quadro e forqueta mais antigos e que não permitem usar pneus muito largos.

Já testámos as novas Mavic Cosmic SLR 45

O cepo IS360 é do tipo ratchet, o qual abdica dos clássicos linguetes e aposta num sistema de dois carretos com 40 dentes que engrenam com apenas 9º de deslocação. O som que emite quando deixamos de pedalar é elevado, mas não chega ao nível dos cepos DT Ratchet. Inclusivé, podemos silenciá-lo adicionando um anel de borracha no interior do cepo. Não são necessárias ferramentas para o desmontar, lavar ou lubrificar, ou mesmo substituí-lo por qualquer outro cepo compatível com qualquer standard do mercado, incluindo o Shimano Spline - para 12 carretos - ou o novo Campagnolo N3W com uma cassete Ekar de 13 carretos.

Já testámos as novas Mavic Cosmic SLR 45

Para melhorar a sua robustez e fiabilidade, o eixo traseiro tem uma grossura maior (cresceu 2.5 mm), e os rolamentos dos novos cubos Infinity incluem um ajuste automático lateral denominado QRM Auto, o qual se baseia numa mola situada num rolamento e que fica fixada ao eixo. A suavidade do sistema manteve-se durante todo o teste, sem folgas ou ruídos. As cabeças dos raios herdam o sistema Fore dos modelos de alumínio (estão enroscadas aos raios e possuem uma inserção de alumínio situada no interior da roda) elevando a rigidez, a resistência e a leveza da roda, embora piore a sua aerodinâmica face âs cabeças ocultas. No entanto, este efeito é compensado com o perfil elíptico dos raios. Os seus acabamentos são os habituais: excelentes. Quanto à estética, também seguem a linha minimalista adotada nas temporadas anteriores, prescindindo de logotipos grandes ou decorações coloridas.

Já testámos as novas Mavic Cosmic SLR 45

O seu comportamento na estrada é exemplar. Nas subidas, a sua leveza fez-se notar e nas estradas planas, o seu perfil de 45 mm ajudou-nos a manter a velocidade elevada e economizar energia, se compararmos com rodas com perfil mais baixo. Em estradas degradadas ou caminhos de terra apreciámos o conforto superior, pois já tínhamos testado outras rodas que não eram tão confortáveis como estas, e isso deve-se ao facto de estas Mavic darem prioridade à fiabilidade e à absorção em detrimento da rigidez lateral. Com vento o seu comportamento foi previsível, embora nos dias mais agrestes tivéssemos de estar mais atentos à sua trajetória. Os ciclistas menos habituados ou treinados devem optar pela versão com 32 mm de perfil.

FICHA TÉCNICA

  • Preço: 1.850 €
  • Peso: 1.491 g (diant. 678 g, tras. 813 g), 1.471 g com cepo XDR
  • Medidas: 45,8 mm de perfil; 19,2 mm de largura interna e externa de 28 mm
  • Opções: Cepo Shimano/SRAM até 11v, SRAM XD/XDR, Shimano Micro Spline, Campagnolo até 12v, Campagnolo N3W
  • Inclui: Válvulas tubeless, extrator de obus, chave de raios, desmontas
  • Distribuidor: Mavic
  • Site: www.mavic.com