Rui Oliveira terceiro classificado no omnium da Taça do Mundo

O português Rui Oliveira foi o terceiro classificado no concurso olímpico de omnium da Taça do Mundo de Pista, que decorre em Minsk, Bielorrússia.
Carlos Pinto
Rui Oliveira terceiro classificado no omnium da Taça do Mundo
Rui Oliveira terceiro classificado no omnium da Taça do Mundo

Este resultado é importante no objetivo de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, uma vez que o omnium é uma das apostas de Portugal para estrear-se nas provas de pista dos Jogos. O corredor português fez um concurso de alto nível. Começou com o segundo lugar em scratch, foi o quarto na corrida tempo e sexto em eliminação. Com este início, Rui Oliveira começou a corrida por pontos no segundo lugar da geral.

Na prova decisiva, o representante da Equipa Portugal esteve mais uma vez entre os melhores, ganhando duas voltas ao pelotão e adicionando 47 pontos ao pecúlio pessoal. Terminou com 149 pontos e com a medalha de bronze. O britânico Matthew Walls conquistou a medalha de ouro, com 163 pontos. O segundo classificado foi o campeão olímpico da especialidade, o italiano Elia Viviani, com 154.

“Comecei bem no scratch e na corrida tempo, o que me deixou sempre perto da frente. A confiança aumentou para a corrida por pontos, onde dei tudo. Este novo formato, com as corridas muito compactadas, com as quatro corridas em pouco mais de duas horas e meia, agradou-me. Sendo um corredor de estrada, penso que acaba por beneficiar-me. Tenho trabalhado muito, nestas últimas semanas e este resultado é o reflexo disso”, afirma Rui Oliveira.

O selecionador nacional, Gabriel Mendes, também se mostrou satisfeito com o novo formato de omnium, com as quatro provas concentradas numa única sessão. Este será o formato aplicado em Tóquio e é para os Jogos Olímpicos que o trabalho está a ser realizado. “Hoje queríamos distanciar-nos da Alemanha e do Cazaquistão. Além de conseguirmos esse objetivo, o Rui ainda esteve na discussão da corrida. Foi um excelente desempenho”, salienta Gabriel Mendes.

Iuri Leitão também competiu, disputando a disciplina de scratch. O vianense qualificou-se para a final. Na prova decisiva esteve entre os dez corredores que conseguiram dobrar o pelotão. Na disputa pelas primeiras posições, Iuri Leitão alcançou o sexto lugar. O bielorrusso Yauheni Karalyok foi o melhor, seguido pelo espanhol Sebastián Mora e pelo americano Eric Young.