Problema cardíaco detetado a Vasil Kiryienka

O bielorusso de 38 anos da Ineos já abandonou a alta competição após ter recebido este diagnóstico.
Carlos Pinto
Problema cardíaco detetado a Vasil Kiryienka
Problema cardíaco detetado a Vasil Kiryienka

O bielorusso da Ineos, Vasil Kiryenka, anunciou hoje a sua retirada do ciclismo profissional, seguindo a recomendação dos médicos, devido a um problema cardíaco. Campeão do mundo de contrarrelógio em 2015 e vencedor de quatro etapas em Grandes Voltas (três na Volta a Itália e uma na Volta a Espanha), Kiryenka foi um dos melhores gregários do pelotão internacional nos últimos anos.

Além destes êxitos, o seu palmarés também contempla vitórias na Crono das Nações (por duas vezes), na Ruta del Sur, uma etapa na Volta ao País Basco, o GP Città di Camaiore, cinco títulos nacionais de contrarrelógio e medalhas de prata e bronze em outros dois mundiais de contrarrelógio, modalidade onde sobressaiu como especialista.

Vasil Kiryienka estreou-se como profissional em 2006 nas fileiras da equipa Rietumu Bank-Riga, tendo feito estrada e pista, e em 2008 foi proclamado vencedor no Mundial de Pista. Nesse mesmo ano - formando parte da Tinkoff Credit Systems - conseguiu o seu primeiro êxito na estrada ao ganhar a 19ª etapa da Volta a Itália. Em 2009 ingressou na Caisse d´Epargne (antecessora da Movistar), onde esteve até 2012 (tendo obtido 3 vitórias, uma delas na 20ª etapa da Volta a Itália de 2011 com final em Sestriere).

Uniu-se à Sky em 2013 tendo somado sete das suas 18 vitórias como profissional. Além disso, formou parte da equipa nas três edições da Volta a França ganhas por Chris Froome (2013, 2016 e 2017). Kiryenka perdeu o início da temporada passada devido a uma anomalia cardíaca e apenas se estreou em 2019 no último dia de abril no Tour da Romandia. Depois, entre outras provas, disputou a Volta a Espanha (retirou-se na 18ª etapa) e a sua última competição foi o Mundial de estrada em Yorkshire, em finais de setembro.

Segundo o próprio Vasil Kiryenka, "é um dia muito triste para mim, mas é a decisão correta segundo os conselhos que me foram dados pela equipa médica. Tive uma carreira maravilhosa e desfrutei cada minuto a competir com esta equipa. Foi uma aventura incrível e estou muito agradecido por todo o apoio que recebi ao longo da minha carreira."

O Diretor Geral da equipa, Sir Dave Brailsford, salientou: “é decepcionante para o Kiryenka e para nós como equipa. É um dos melhores ciclistas da sua geração. Quando um ciclista numa fuga olhava para trás e via o Kiryenka com a camisola aberta na parte dianteira do pelotão a conduzir a perseguição, sabia que os seus dias estavam contados. Tivemos a sorte de tê-lo na nossa equipa nos últimos sete anos e estamos orgulhosos de tê-lo apoiado em algumas das suas vitórias. É verdade que é uma decisão difícil de tomar, mas é a correta e apoiamos plenamente. Desejamos que ele tenha muito êxito e a equipa continuará a apoiá-lo no futuro."