Será que a diabetes me impede de continuar a fazer desporto?

A Diabetes não é uma doença que nos limite se quisermos continuar a andar de bicicleta. Apenas temos de ter em conta algumas indicações...
Revista BIKE -
Será que a diabetes me impede de continuar a fazer desporto?
Será que a diabetes me impede de continuar a fazer desporto?

A diabetes mellitus é uma doença metabólica que incapacita o organismo de segregar insulina ou que cria uma resistência a esta. A insulina é uma hormona segregada pelo pâncreas com função anabólica, que faz com que a glucose que circula no sangue passe para os músculos.

Existem dois tipos de diabetes. A de tipo 1 é conhecida como insulinodependente, ou seja, requer a administração diária de insulina porque o organismo não a gera e costuma ser hereditária ou causada por fatores genéticos, autoimunes ou por fatores do meio ambiente. A diabetes do Tipo 2 não requer a injeção de insulina e pode ser controlada com a dieta e o exercício físico. O organismo segrega insulina, mas a musculatura tornou-se resistente a ela. Costuma ser provocada por maus hábitos alimentares (e outros), obesidade, envelhecimento e inclusivé há mulheres que padecem desta doença durante a gravidez. Em ambos os casos o problema é o mesmo, um alto nível de glucose no sangue (hiperglicémia), que se diagnostica com uma análise ao sangue que mostre (em jejum) um nível superior a 140 mg/dl. Uma hipoglicémia pode originar um coma diabético, daí o seu perigo. 

Felizmente o desporto (sobretudo o aeróbico como o ciclismo, a corrida, etc) está demonstrado que é uma das melhores terapias para os diabéticos já que os músculos exigem mais glucose e vão "recolhendo-o" do sangue, diminuindo a glicémia sanguínea e evitando a temida hiperglicémia. Além disso, melhora a sensibilidade à insulina e a glucose é melhor aproveitada.

Um desportista diabético deve controlar muito a sua ingestão de hidratos de carbono, mas isso não deve ser um transtorno muito grande. Mais do que evitar os hidratos de carbono, é essencial vigiar de que tipo são os de alto índice glicémico. 

Deve medir-se a glicémia sanguínea antes de começar o exercício físico e em função desta atuar de um modo ou de outro (ver tabela). Os diabéticos do tipo 1 devem ser cuidadosos com a quantidade de insulina que administram. Em excesso poderá conduzi-los a uma hipoglicémia. Por outro lado, os de tipo 2 não costumam padecer deste problema nem costumam necessitar de hidratos de carbono suplementares, ao contrário dos primeiros. 

ÍNDICE GLICÉMICO DE ALGUNS ALIMENTOS

INDICE GLICÉMICO ALIMENTO
100 Glucose
92 Cenouras cozidas
87 Mel
80 Puré de batata instantâneo
80 Milho em flocos
72 Arroz branco
70 Batatas cozidas
69 Pão branco
67 Sémola de trigo
66 Muesli
66 Arroz integral
64 Passas
64 Beterraba
62 Bananas
59 Açúcar branco (sacarose)
59 Milho doce
59 Bolos
51 Ervilhas
51 Batatas fritas
51 Batata doce
50 Esparguete branco
45 Uvas
42 Pão de centeio integral
42 Esparguete integral
40 Laranjas
39 Maçãs
38 Tomates
36 Gelados
36 Grão de bico
36 Iogurte
34 Leite gordo
29 Feijões
29 Lentilhas
34 Pêras
28 Salsichas
26 Pêssegos
26 Toranja
25 Ameixas
23 Cerejas

 Se antes de fazer desporto a tua glicémia sanguínea é de: 
Menos de 80 mg/dl: Ingerir 20-50 g de açúcares antes de começar e 10-15 g por cada hora de exercício físico.
80-100 mg/dl: Não comer nada antes de ingerir 10-15 g/h de açúcares quando se tiver cumprido uma hora de atividade física.
-180-250 mg/dl: Não tomar nada antes e a partir das 2 horas de atividade física tomar 10-15 g/h de açúcares.
Mais de 250 mg/dl: Não praticar desporto.

Alimentos aconselhados que contêm 10, 15 e 20 g de açúcares:
Pão: 1 fatia de 20 g (10 g açúcares), 3 biscoitos (15 g açúcares), 2
fatias de 20 g (20 g açúcares).
Bolachas do tipo Maria: 3 unidades (10 g açúcares).
Fruta: 1 maçã pequena, pêra, pêssego, 2 damascos, 3 ou 4 ameixas, laranja, 2 tangerinas, 2 kiwis... (10-15 g açúcares). 1 banana pequena, un punhado de uvas ou cerejas, ... (20 g açúcares).