5 invenções que mudaram o mundo do BTT

O BTT revolucionou o mundo das bicicletas como eram conhecidas até então, servindo de inspiração para inúmeras modificações e novas invenções. Para nós, estas foram as cinco mais importantes.
Revista BIKE -
5 invenções que mudaram o mundo do BTT
5 invenções que mudaram o mundo do BTT

1. Suspensões

A RockShox através da sua RS-1 e a Manitou com as suas primeiras suspensões com elastómeros, foram decisivas no mundo das bicicletas todo o terreno. E depois das suspensões surgiram os amortecedores no início dos anos 90, uma fase incrível onde as marcas investiram bastante para tornar o sistema de amortecimento eficaz. Nessa altura, como é natural, as versões iniciais tinham pouco curso e sistemas variados, desde elastómeros até molas. Os verdadeiros sistemas hidráulicos só surgiram mais tarde. 

2. Pedais automáticos

A Shimano introduziu no BTT o sistema de pedais automáticos, deixando para trás o clássico sistema de correias. Através de uma peça metálica (cleat) no sapato e um sistema de encaixe no pedal, a marca japonesa criou um standard que ainda hoje é o mais popular e que na verdade não mudou muito desde o seu design original. 

3. Tubeless

O gigante francês Mavic revolucionou o mundo das rodas ao introduzir o sistema Tubeless, outra das tecnologias de vanguarda do século XXI. A Michelin com o seu Wildgripper Comp S e a Hutchinson com o seu Phyton Airlock tornaram possível este desenvolvimento em colaboração com a Mavic, que na altura lançou no mercado as redesenhadas Crossmax, agora apelidadas UST. 

4. Travões de disco

As maiores necessidades de travagem no BTT foram um impulso para as sucessivas melhorias nos sistemas de travagem, desde os originais cantilever, passando pelos V-brake e finalmente os travões de disco, que hoje em dia se generalizaram pela sua eficácia e preço reduzido. 

5. Mochilas de hidratação

A Camelbak deu o primeiro passo ao popularizar uma nova maneira de transportar a água, bem como ferramentas ou kits de reparação. E isto é algo exclusivo do BTT, pois no mundo da estrada as mochilas de hidratação nunca conquistaram esse mercado. Curiosamente o Trail está a adotar estas mochilas, nas versões mais minimalistas.

E não podemos deixar de destacar estas...

Rodas de 29”

Parece que após a batalha dos tamanhos de roda, as de 29 polegadas ficaram com a maior parte do bolo, embora ainda não esteja tudo definido, pois hoje em dia convivem as rodas de 29" com as de 27,5" e as suas respetivas versões Plus, sem esquecer as fatbike (embora estas em muito menor número). A medida 26" ficou definitivamente para trás. 

Monoprato

A lógica diz-nos que à medida que os fabricantes conseguirem produzir cassetes com mais carretos, os desviadores e os pratos múltiplos serão cada vez menos necessários. Por agora, a SRAM e mais recentemente a Shimano popularizaram as 12 velocidades, tendo a Rotor lançado um grupo com 13 velocidades.

Mudanças electrónicas

A Shimano monopoliza por enquanto a tecnologia em termos de mudanças eletrónicas, que por agora existe no XTR e Deore XT. Ainda não sabemos se as restantes gamas vão ter versões deste tipo, e se no BTT vai ter o sucesso que o Ultegra e o Dura Ace estão a ter no mercado de estrada. A SRAM lançou o AXS, mas o seu preço torna-o quase proibitivo.

e-Bikes

As bicicletas elétricas são cada vez mais populares e as suas vendas estão a crescer de uma forma exponencial, abrindo novos caminhos e recuperando alguns utilizadores que, por um motivo ou por outro, tinham abandonado o mundo do BTT. Com o "envelhecimento" da população ativa do BTT, a bicicleta elétrica tem o caminho livre para crescer muito mais no futuro, além de ser o principal impulso tecnológico para as marcas no dia de hoje. 

Espigão telescópico

No início parecia que estava indicado somente para as disciplinas mais agressivas, mas hoje em dia até as bicicletas de XC beneficiam da vantagem de poder baixar o selim com um simples comando no guiador, o que torna as descidas mais verticais ainda mais seguras e divertidas e aumenta as possibilidades da bicicleta. Aliás, por algum motivo as bicicletas todo o terreno trazem há muitos anos apertos rápidos no espigão de selim: é para baixar o selim quando necessário.