Publicidade

25 truques e conselhos a ter em conta

Aqui encontrarás pequenos truques de mecânica e conselhos para cuidar melhor da tua bicicleta.
www.mountainbikes.pt -
25 truques e conselhos a ter em conta
25 truques e conselhos a ter em conta

1. Chama-nos retrógados, se quiseres, mas nunca nos cansaremos de o aconselhar a quem quer que seja. Aliás, achamos que é o melhor conselho que podemos dar a alguém que anda de bicicleta: UTILIZA SEMPRE UM CAPACETE QUANDO FORES ANDAR DE BICICLETA. E leva-o sempre na cabeça, mesmo nas subidas. O guiador serve para outras coisas...  

2. Quando deixares a bicicleta parada durante um longo período, deixa engrenados o carreto mais pequeno e, caso a tua bicicleta tenha prato duplo ou triplo à frente, a cremalheira mais pequena. Dessa maneira irás retirar toda a tensão das molas dos desviadores, e deixarás a corrente e os cabos sem pressão, alargando a sua vida útil. 

3. Quando deixares a tua bicicleta deitada no chão por algum motivo, lembra-te sempre que a deves deixar com a transmissão virada para cima, como se vê na imagem. Assim evitarás danificar os desviadores e entortar o dropout. 

 

4. Ao apertar o parafuso que prende as manetes de travão ao guiador, não o apertes em demasia. Desta forma, em caso de queda elas irão mover-se evitando que se dobrem ou partam. Lembra-te de que as manetes de travão são muito vulneráveis em caso de queda.

5. Ao apertar os parafusos do avanço, faz essa tarefa em cruz, ou seja, na ordem que apresentamos na fotografia. Assim irás certificar-te de que a pressão de todos os parafusos é uniforme. Aperta um de cada vez e pouco a pouco, para repartir a pressão. 

 

6. Em caso de quebra de um parafuso de aperto do selim, podes desenrascar colocando uma abraçadeira nos passadores do espigão e no selim, apertando com bastante força. Pelo menos assim conseguirás chegar a casa. 

 

7. Quando montares uns pedais novos, ou quando por algum motivo tenhas de retirar os teus dos cranques, não te esqueças de colocar um pouco de massa nas roscas. Assim evitarás que possam gripar e tornará o processo de extração mais fácil. 

8. Antes de ajustares os parafusos do teu desviador traseiro, comprova que o mesmo está bem preso ao quadro. Se não o fizeres de nada servirá o ajuste pois nunca conseguirás colocar as mudanças "no ponto". Para esta tarefa deverás utilizar uma chave Allen de 5 mm. 

 

9. Para o ajuste das mudanças e antes sequer de usares uma chave para rodar os parafusos H e L, experimenta usar a margem nos tensores das manetes. 

 

10. Quando substituíres os cabos das mudanças, coloca massa lubrificante, como vês na foto, antes sequer de os introduzires nas bichas. Deste modo asseguras uma suavidade que não tem comparação. 

11. Ao substituir as bichas lembra-te de que os cortes nas pontas devem ser o mais retos e limpos possível. O objetivo é que os cabos não encontrem fricção e se desloquem sem algo a atrapalhar.

 

12. Quando estiveres a colocar as pontas nas bichas, carrega bem para que fiquem bem encaixadas. Se não o fizeres, com a utilização essas pontas podem sair do lugar, interferindo no funcionamento das mudanças. 

13. Ao rodar o guiador, os cabos dos travões, mudanças, bloqueios da suspensão ou espigão telescópico ficam suscetíveis de roçar no quadro (caso o teu não tenha proteções). Se isso acontecer, coloca algum tipo de protetor, como o que se vê na foto, para evitar marcar o quadro (isto acontece bastante nos quadros em fibra de carbono). 

 

14. Parece mentira a quantidade de cabos que podem chegar a sair hoje em dia dos guiadores das nossas bicicletas. Para evitar que fiquem engatados uns nos outros, coloca uma abraçadeira. Mas nota que não deves apertar muito a abraçadeira, pois o objetivo não é "estrangular" ou cortar os movimentos dos cabos. 

 

15. Se por acaso estiveres num trilho e tiveres um furo, mas não tiveres uns desmontas â mão, podes (como solução de recurso, e ressalvamos isso) usar um dos teus apertos rápidos (caso as tuas rodas os tenham, pois as rodas com apertos de eixo passante não possuem esta valência). 

 

16. Pode parecer estúpido estar a lembrar isto, mas já nos deparámos com casos em que as pessoas não sabiam isto. As molas dos apertos rápidos são necessárias para que a roda não saia do seu sítio. Tem de estar uma mola em cada extremidade do aperto e com a parte estreita virada para dentro (como está na imagem). 

17. Ao apertar os discos dos travões, lembra-te de que deves efetuar essa tarefa em cruz, para repartir uniformemente a pressão pelos seis parafusos (caso os teus discos tenham este sistema). Este método é mais profissional e irá certificar que o disco fica bem centrado no cubo. 

18. Se vais transportar a tua bicicleta e precisas de retirar o teu espigão de selim recomendamos-te que coloques alguma marca ou fita adesiva na extremidade para assim evitares estar a calcular a altura do espigão. 

19. Quando retirares a roda traseira, para transportar a bicicleta ou para reparar um furo, nunca apoies a bicicleta no solo como vês na foto. Todo o peso da bicicleta recairá em cima do desviador traseiro, o que pode entortá-lo ou mesmo parti-lo. Além disso, poderás danificar o dropout, as roldanas do próprio desviador e sujarás a corrente.

20. A correta colocação do selim é fundamental. Em regra (e salientamos esta palavra), o selim deve estar totalmente plano. Comprova com um nível, se for necessarário. 

21. Se os teus punhos começam a rodar (quando, por exemplo, fazes muita pressão em subidas inclinadas ou a sprintar) e ainda não tens verba para comprar uns novos, podes prendê-los com um pedaço de arame em cada uma das suas extremidades. Este truque é um clássico do motocrosse há muitos anos. 

 

22. Se a tua suspensão não possui um anel de borracha para medir o sag, coloca uma abraçadeira pois fará o mesmo papel. E cuidado com o aperto, ela tem de deslizar nas barras e não atrapalhar o movimento da suspensão. Não te aconselhamos a fazer isto se tiveres uma suspensão com tratamento Kashima pois pode (e muito provavelmente assim será) danificar essa zona. 

23. Respeita os valores de aperto recomendados pelos fabricantes, sobretudo se tens um quadro e/ou componentes em fibra de carbono. Por isso recomendamos-te que adquiras uma boa chave dinamométrica, analógica ou digital. Vê aqui uma sugestão: 

24. Se utilizas cera para lubrificar a corrente, é preferível que a apliques na noite anterior à volta, para que esta penetre bem nos elos. Para acelerar o processo podes aquecer um pouco a corrente com um secador de cabelo antes de aplicares a cera. 

25. Os componentes de carbono, espigões, guiadores, etc... estão suscetíveis de se mover apesar do aperto necessário. Utiliza uma pasta de montagem específica para carbono e verás que isso deixará de acontecer. 

 

 

 

Utilizamos cookies próprias e de terceiros para facilitar e melhorar a navegação, mostrar conteúdo relacionado às suas preferências e coletar informações estatísticas. Se você continuar navegando, consideramos que você aceita seu uso. Mais informação.