Publicidade

Teste: sapatos Rockrider XC900

A reestruturação do setor de ciclismo do gigante francês começa a dar os seus frutos, e prova disso é a qualidade dos acabamentos que vemos nestes sapatos de BTT.
Revista BIKE -
Teste: sapatos Rockrider XC900
Teste: sapatos Rockrider XC900

Embora costumemos associar as diferentes marcas do gigante francês Decathlon a gamas médias e baixas, a "reestruturação" do seu setor de ciclismo (separação das distintas insígnias como a Rockrider, Van Rysel, Triban e Btwin), originou uma melhoria substancial dos seus produtos de maior qualidade, que pretendem aproximar-se ao mercado dos ciclistas mais experientes.

No caso dos sapatos, o que referimos é cumprido na perfeição e na gama mais alta da oferta da Decathlon, encontramos os XC900

O melhor: relação rigidez/conforto; preço; qualidade geral; fixação do pé.

Possuem sola em compósito de carbono, que proporciona uma grande rigidez e inserções de fibra de carbono na zona de encaixe dos cleats, bem como um composto de dupla densidade na zona dos tacos, que visa proporcionar uma boa aderência quando temos de caminhar, com baixo grau de deterioração.

Prueba: Zapatillas Rockrider XC900

Estes sapatos contam com dois apertos milimétricos rotativos, sendo a parte superior do sapato em poliuretano com microperfurações (realizadas com laser), que permitem uma maior respirabilidade, tal como a lingueta, que também apresenta o mesmo sistema de melhoria da transpiração. Nas duas extremidades dos sapatos há reforços, tanto para dar estabilidade (TPU no calcanhar), como para minimizar o desgaste por toques sucessivos na ponta do sapatos. A palmilha é de espuma EVA termomoldada. 

Prueba: Zapatillas Rockrider XC900

Por último, permitem o uso de cleats SPD e Crank Brothers, podendo ser instalados pitons de 4 mm na zona dianteira, para aumentar a aderência em condições muito adversas (lama, por exemplo). Como tenho pés largos, a primeira coisa que notei foi que a forma não é muito larga, embora não tenha sentido qualquer incómodo nas saídas normais (até 6horas). O aperto com dois fechos milimétricos é de boa qualidade e bastante intuitivo. Por sua vez, a aderência em zonas com piso irregular, em que tive de caminhar, é boa, mesmo em áreas com muita pedra, não sendo notório um desgaste excessivo.  

A melhorar: não há tamanhos intermédios; palmilha um pouco simples.

Quanto à sola, a rigidez é muito elevada. Embora a Decathlon não apresente os valores de rigidez (como outras marcas), calculo (não é uma medição absoluta, mas sim baseada em sensações) que seria equivalente a um 12 (o máximo atualmente são 14).

 

A respirabilidade do sapato é boa e não aquece os pés, como alguns modelos no mercado. A palmilha é talvez o elemento mais "fraco" do conjunto pois é demasiado simples para um sapato que é topo de gama. Ao contrário de alguns modelos de gama alta de outras marcas, este modelo da Decathlon não traz cunhas para compensar o apoio, nem sequer diferentes densidades, embora possua as habituais perfurações para ventilação. 

Prueba: Zapatillas Rockrider XC900

Até agora, valorizámos os sapatos de um modo absoluto, sem ter em conta o preço que, ao ser incuído na equação, dado que é bastante ajustado, nos dá um produto com uma relação qualidade/preço muito alta. 

 

FICHA TÉCNICA
Características: Sapato com sola de compósito de carbono; inserção de fibra de carbono na sola; reforço de TPU no calcanhar; ajuste por sistema Atop giratório. Opções: Preto e preto/vermelho. Tamanhos: 40-46. Peso: 752 gramas (par tamanho 42). Preço: 130€.

Mais informações em www.decathlon.pt.

 

 

 

 

Utilizamos cookies próprias e de terceiros para facilitar e melhorar a navegação, mostrar conteúdo relacionado às suas preferências e coletar informações estatísticas. Se você continuar navegando, consideramos que você aceita seu uso. Mais informação.