Publicidade

Ondrej Cink: susto em Vallnord

Quando liderava destacado a corrida da Taça do Mundo uma arritmia cardíaca obrigou-o a parar.
Imagens: RedBull TV -
Ondrej Cink: susto em Vallnord
Ondrej Cink: susto em Vallnord

A Taça do Mundo deste fim de semana foi, a todos os níveis, impressionante. Não só pela manifestação da dureza das condições extremas de Vallnord, com a altitude como menu principal, mas também devido ao calor extremo que se fez sentir. Tudo parecia apontar para uma vitória extraordinária de Ondrej Cink, com cerca de meio minuto de vantagem sobre o grupo perseguidor a pouco mais de duas voltas para o final, quando de repente começámos a ver o checo a colocar a mão no peito enquanto perdia toda a sua vantagem para Fluckiger, Schurter e Avancini. O atleta parou na zona técnica, fazendo gestos a indicar que algo de mal estava a acontecer.

O seu coração começou a sofrer arritmias que elevaram o pulso até às 230 pulsações por minuto, algo completamente fora do normal. Com uma mistura de preocupação e deceção, Cink esteve parado cerca de dois minutos à espera que o seu coração voltasse ao estado normal, decidindo depois voltar à corrida para tentar conseguir um top10, algo que, a custo, conseguiu fazer, mas deixando no ar a dúvida se a decisão foi a mais acertada, pois em causa estava a sua vida. 

Ondrej Cink: susto en Vallnord

O atleta da Kross foi às redes sociais algumas hora mais tarde agradecer o apoio dos seus seguidores: "Não sei por onde começar, tenho um monte de sentimentos, pensamentos e emoções. Mas saliento, sobretudo, que estou muito dececionado, queria que me vissem hoje no primeiro lugar. Dei tudo o que tinha desde o início. Sentia-me muito bem, e estava a dar 90%, por isso sabia que ainda tinha forças para poder atacar nas duas últimas voltas para conseguir a vitória. As minhas pernas estavam em perfeitas condições e tinha energia. Por infelicidade, a duas voltas do final tive uma arritmia cardíaca, e segundo o meu Garmin estava com 230 pulsações por minuto. Pensei que passaria de imediato, mas depois decidi parar para recuperar a normalidade. Não me dou por vencido na minha querida Andorra, nem que tivesse de chegar em último... Por fim, fiz o possível para entrar no top 10. Foi uma grande deceção. É isso que sinto. Apenas temos uma vida, estou contente por estar vivo e em bom estado, e espero recuperar. Obrigado pelo vosso apoio e pelas mensagens que me têm enviado". 

 

 

 

Utilizamos cookies próprias e de terceiros para facilitar e melhorar a navegação, mostrar conteúdo relacionado às suas preferências e coletar informações estatísticas. Se você continuar navegando, consideramos que você aceita seu uso. Mais informação.